Mundo

Nobel da Paz para o Programa Alimentar Mundial

Erik de Castro

"Pelos seus esforços no combate à fome e contribuição para a paz em zonas de conflito", segundo o Comité Nobel.

O Programa Alimentar Mundial (PAM) das Nações Unidas venceu o Prémio Nobel da Paz "pelos seus esforços no combate à fome e contribuição para a paz em zonas de conflito", anunciou hoje o Comité Nobel Norueguês.

O anúncio foi feito hoje em Oslo pela presidente do comité, Berit Reiss-Andersen, que justificou a distinção do PAM:

"Pelos seus esforços para combater a fome, o seu contributo para melhorar as condições para a paz em áreas afetadas por conflitos e por agir como uma força motriz nos esforços para prevenir o uso da fome como uma arma de guerra e de conflito".

O Comité Nobel assinalou que a pandemia do novo coronavírus fez aumentar a fome que milhões de pessoas enfrentam em todo o mundo e pediu aos governos que garantam que o PAM e outras organizações de ajuda recebem o apoio financeiro necessário para as alimentar.

"Em 2019, o PAM prestou assistência a cerca de 100 milhões de pessoas em 88 países vítimas de insegurança alimentar aguda e fome", indica o comité no comunicado em que anuncia o prémio.


"Com o prémio deste ano, o (comité) pretende que os olhos do mundo se voltem para os milhões de pessoas que sofrem ou enfrentam a ameaça da fome", disse Reiss-Andersen, adiantando que "o Programa Alimentar Mundial desempenha um papel fundamental na cooperação multilateral, tornando a segurança alimentar um instrumento de paz".

Berit Reiss-Andersen indicou ainda que "o Programa Alimentar Mundial contribui diariamente para promover a fraternidade das nações mencionada no testamento de Alfred Nobel".

Comité Nobel "quis frisar a importância da cooperação multilateral contra flagelos como a fome"

O editor de internacional do Expresso Pedro Cordeiro refere a mensagem que o Comité quis passar sobre a importância do multilateralismo em questões mundiais fundamentais.

"Uma fração das necessidades totais"

Fundado em 1961 com sede em Roma e integralmente financiado por contribuições voluntárias, o PAM diz ter distribuído 15 mil milhões de refeições e assistido 97 milhões em 88 países no ano passado.

Apesar da dimensão dos números, a organização diz que representam apenas uma fração das necessidades totais.

Veja aqui os vencedores já conhecidos dos Prémios Nobel de 2020:

Cerimónia online devido à pandemia

Este ano a atribuição do Prémio Nobel fica marcada pelo cancelamento da tradicional cerimónia presencial de entrega dos galardões, agendada para 10 de dezembro em Estocolmo (capital sueca), pela primeira vez desde 1944 (durante a Segunda Guerra Mundial).

Por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus, a solução encontrada foi a realização de uma cerimónia quase inteiramente online, à exceção de uma reduzida plateia que estará no edifício da câmara de Estocolmo.

Em julho, a fundação já tinha anunciado o cancelamento do tradicional jantar de gala em honra dos laureados, que se realiza anualmente em Estocolmo, no mês de dezembro.

Anteriormente, este banquete só fora cancelado durante as duas Guerras Mundiais e nos anos de 1907, 1924 e 1956.