Mundo

Invasores do Capitólio estão a ser despedidos pelas suas empresas

Leah Millis

Muitos publicaram fotografias e vídeos nas redes sociais.

Os invasores do Capitólio, nos Estados Unidos, estão a ser identificados pelo FBI, através de fotografias e contas nas redes sociais. Alguns, identificados nos vídeos e diretos partilhados nestas plataformas, foram já despedidos dos seus trabalhos.

Segundo o correspondente da SIC nos Estados Unidos, Luís Costa Ribas, a prioridade nesta altura é localizar e deter os “cabecilhas” do movimento. O FBI terá identificado, através do visionamento dos vídeos, quem estava a tomar iniciativa.

“Esse trabalho foi facilitado pelos próprios, uma vez que muitos deles filmaram e publicaram nas redes sociais e outros até emitiram em direto”, explicou Luís Costa Ribas.

Os que já foram despedidos

Uma empresa de Marketing em Maryland anunciou já que um dos seus funcionários foi despedido depois de ter sido fotografado com o cartão da empresa dentro do edifício do Capitólio. Num comunicado enviado à CNN, a empresa garante que apoia qualquer “exercício pacífico e legal da liberdade de expressão”, mas que qualquer funcionário com “atitudes perigosas” será afastado.

Também um advogado do Texas deixou a seguradora onde trabalhava depois de ter sido identificado numa publicação nas redes sociais. No próprio dia, a empresa informou através do Twitter que o seu associado já não trabalhava para eles. A CNN explica não ser claro se foi demitido ou se saiu por decisão própria.

Rick Saccone, ex-representante do estado da Pensilvânia, partilhou imagens na sua página do Facebook no exterior do Capitólio. A faculdade de Saint Vincent College, onde trabalha, abriu uma investigação ao envolvimento do seu docente na invasão do Capitólio. Entretanto, o professor apresentou a sua demissão com efeitos emediatos.

A invasão do Capitólio: o filme dos acontecimentos

Os Estados Unidos viveram na quarta-feira uma tentativa de golpe de estado incentivada pelo próprio Presidente. Milhares de apoiantes de Donald Trump tomaram conta do Capitólio, tendo algumas dezenas conseguido entrar durante várias horas.

Cinco pessoas morreram nos confrontos com as autoridades e 52 foram detidas. Tudo aconteceu quando o Congresso dava o último passo constitucional para validar Joe Biden como o próximo chefe de Estado.