Mundo

Israel. Bennett afirma que "renovação do acordo nuclear com o Irão é um erro"

Ronen Zvulun

No discurso da sessão de ratificação do novo Governo no Parlamento israelita, Bennett agradeceu a Netanyahu pelos 12 anos à frente do país.

O ultranacionalista religioso Naftali Bennett, que poderá ser o próximo primeiro-ministro de Israel, pediu este domingo a reconciliação nacional, na sessão de ratificação do novo Governo no Parlamento, marcada por forte tensão. Bennett ainda que se for eleito primeiro-ministro não vai voltar a existir um acordo nuclear com o irão

"A renovação do acordo nuclear com o Irão é um erro. Um erro que vai legitimar mais uma vez um dos regimes mais tenebrosos e violentos do mundo. Israel não permitirá que o Irão tenha armas nucleares. Israel não fará parte do acordo e continuará a manter a total liberdade de ação”, disse Bennet durante o discurso.

Naftali Bennett agradeceu ainda a Netanyahu pelos 12 anos que esteve à frente do país.

"É o momento de passar a liderança da nação e o Estado à próxima geração", afirmou Bennett, citado pela agência EFE, durante o discurso em que, apesar das diferenças entre ambos, agradeceu ao primeiro ministro Benjamin Netanyahu os 12 anos que passou ao serviço de Israel.

Bennett falava na sessão de abertura do Knesset (Parlamento), em que se espera que o chamado "Governo da mudança" seja ratificado, enquanto parlamentares do Likud (partido que alia o centro-direita e a direita conservadora) de Netanyahu, partidos ultraortodoxos e o Partido Religioso Sionista o repreenderam e insultaram, tentando por mais de uma ocasião interromper o seu discurso.

Benjamin Netanyahu vai continuar na oposição

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse este domingo que continuará na política, na oposição, após a tomada de posse de uma nova coligação, ou que regressará ao poder "em breve".

"Se é nosso destino estar na oposição, faremos isso de cabeça erguida, derrubaremos esse mau governo e voltaremos a governar o país do nosso jeito (...) Estaremos de volta em breve", disse Netanyahu durante um discurso no Knesset, o parlamento de Israel, antes de um voto de confiança num novo governo.

O parlamento israelita deve votar hoje à tarde um voto de confiança no "governo de mudança" liderado pelo líder da direita radical Naftali Bennett e pelo líder centrista Yair Lapid para encerrar mais de 12 anos de governação de Benjamin Netanyahu.

"Bennett e seus amigos são um falso direito e as pessoas sabem disso muito bem", disse Netanyahu, que elogiou os "sucessos" de seu Governo, citando em particular acordos para normalizar as relações com os países árabes, e "operações externas", incluindo as que em 2018 permitiu ao Estado hebreu apossar-se dos arquivos nucleares iranianos.

"Mas hoje, o Irão comemora (a chegada da nova coligação) porque eles entenderam que agora existe um Governo fraco" em Israel, acrescentou Netanyahu.

Veja mais:

  • Dez dicas para pais, alunos e escolas no regresso às aulas

    País

    O regresso à escola é sempre desafiante para pais, crianças e professores. Os novos começos não são fáceis e, por isso, às vezes é bom contar com ajuda. Reunimos dez dicas: cinco de um professor e cinco de uma psicóloga que podem ser usadas como um guia prático para quem quer entrar com o pé direito no novo ano letivo.

    Ana Luísa Monteiro