Mundo

Pelo menos seis mortos e mais de 200 detidos numa semana de protestos na África do Sul

A prisão do antigo Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, esteve na origem dos protestos.

A violência nas ruas intensificou-se com incêndios e pilhagens depois de decretada a prisão do ex-Presidente, Jacob Zuma. Seis mortos e mais de 200 detidos é para já o balanço de uma semana de intensos protestos na África do Sul.

O antigo Presidente da África do Sul foi condenado na passada quarta-feira a 15 meses de prisão por desrespeitar uma ordem do Tribunal Constitucional.

Zuma foi considerado culpado por não obedecer à ordem do tribunal para comparecer perante a comissão que investiga as alegadas corrupções durante o seu mandato presidencial de 2009 a 2018.

O exército foi chamado a reforçar a segurança em algumas províncias devido ao intensos protestos.

A Força de Defesa Nacional informou na manhã desta segunda-feira que a duração e o número de soldados mobilizados vão depender da situação no terreno.

O ex-Presidente entregou-se às autoridades no dia 8 de julho, o prazo limite para a sua detenção ordenada pelo Tribunal Constitucional, tendo sido escoltado pelos serviços de proteção presidencial.

Veja também: