Mundo

Polícia britânica anuncia apreensão recorde de moeda digital no valor de 210 milhões de euros

Florence Lo

Segundo um relatório da Chainalysis lançado em fevereiro, as transações com moedas digitais com fins ilegais atingiram 10 mil milhões de dólares em 2020.

A polícia britânica anunciou na terça-feira uma apreensão recorde de moeda digital, de valor acima de 210 milhões de euros, depois de uma outra apreensão elevada há poucas semanas.

Esta apreensão de 180 milhões de libras (210,6 milhões de euros) - "uma das mais importantes do mundo", realçou fonte policial -supera a de 114 milhões de libras efetuada em junho pela polícia de Londres, a Met, como é designada.

"Há menos de um mês, conseguimos apreender 114 milhões de libras em moeda digital. Depois, a nossa investigação foi complexa e de grande envergadura. (...) A apreensão de hoje é outa etapa importante nesta investigação, que vai continuar nos próximos meses", declarou, em comunicado, o detetive da Met Joe Ryan.

As moedas digitais como a bitcoin são criticadas pelos reguladores pelos seus usos ilegais, fomentados pelo anonimato que permitem, bem como pela sua facilidade de utilização.

Segundo um relatório da Chainalysis lançado em fevereiro, as transações com moedas digitais com fins ilegais atingiram 10 mil milhões de dólares em 2020, equivalente a um por cento da atividade das moedas digitais no ano passado e metade do ano precedente.

Sinal da expansão deste ativo, o banco central dos Emirados Árabes Unidos (EAU) anunciou que vai lançar a sua moeda digital até 2026.

O anúncio, feito na segunda-feira, é o mais recente de vários bancos centrais neste sentido, os quais acrescentam críticas às moedas digitais descentralizadas.

Em comunicado distribuído pela agência noticiosa estatal, a WAM, o banco central anunciou que vai "emitir uma moeda virtual e trabalhar na transição digital dos serviços financeiros dos Emirados".

Em 2019, a Arábia Saudita e os EAU anunciaram uma fase de teste de uma moeda digital para as transações entre os bancos dos dois países.

A corrida dos bancos centrais à criação de moedas digitais foi lançada em março pela China, com o início de testes com o seu yuan digital. Os bancos centrais dos EUA, da União Europeia e do Reino Unido estão a avaliar a possibilidade de lançar as suas moedas digitais.

Com a introdução destas moedas digitais, estas instituições pretendem levar estabilidade a um setor muito especulativo.

Criado em 2008, a bitcoin é o ativo principal no mercado das moedas digitais, mas a sua cotação conhece muita instabilidade, depois de ter atingido máximos durante este ano, perante os esforços chineses para regular este mercado.

Veja também: