Mundo

Depois de dias de tumultos, situação acalmou na África do Sul

Foram enviados 25 mil militares para patrulhar bairros afetados.

Depois de vários dias de caos em várias cidades, a situação na África do Sul parece agora estar a acalmar. O embaixador de Portugal em Pretória disse à SIC que, pelo menos 20 negócios de portugueses foram danificados ou destruídos.

Na estrada junto ao porto de Durban, centenas ou mesmo milhares levam tudo o que podem. Imagens de caos e destruição que correram o mundo e mostraram um país com dificuldade em controlar a situação. Mas o pior parece já ter passado.

Nalguns dos mais de 200 centros comerciais saqueados, apagam-se as marcas de dias de pesadelo. O governo mandou o exército ajudar a polícia. 25 mil militares patrulham as zonas mais afetadas.

A onda de violência fez mais de 70 mortos e muitos negócios ficaram total ou parcialmente destruídos. Alguns eram de portugueses.

Mais de 1700 pessoas foram detidas. O caos social e os saques começaram na sequência da detenção do ex-presidente Zuma, ordenada pelo Tribunal Constitucional. O antigo chefe de Estado sul-africano não obedeceu à ordem judicial para comparecer na comissão que investiga suspeitas de corrupção durante sua presidência.

Veja também: