Mundo

Lava do vulcão de La Palma está quase a chegar ao oceano Atlântico

Atividade e emissão de gases tóxicos aumentou.

La Palma, em Espanha, foi oficialmente declarada zona de desastre, com o aumento da atividade vulcânica e as maiores quantidades de gases tóxicos emitidos pelo vulcão.

A atividade do vulcão de la Palma intensificou-se e a lava dirige-se para o mar, agora a menos de um quilómetro.

Se já existe libertação de gases tóxicos, o perigo será ainda maior e mais nocivo quando os mais de mil graus da lava entrarem em contacto com o Oceano Atlântico.

As equipas no terreno monitorizam a todos os minutos o evoluir da situação.

"Ainda existem duas correntes de lava. A do Sul tem uma velocidade muito baixa e a do Norte dividiu-se numa bifurcação ao redor da montanha Todoque. A do Norte tem uma inclinação acentuada para cima, pelo que abrandou e provavelmente irá rodear a montanha Todoque, encontrando-se novamente com a corrente do Sul, que avança a uma velocidade maior porque atravessa um vale de Leste a Oeste", diz Maria Jose Blanco, pertencente ao Plano de Emergência Vulcânica das Ilhas Canárias (PEVOLCA).

Nas zonas mais próximas e perante o aumento de gases tóxicos, foi ordenado o confinamento e o fecho de todos os espaços.

O vulcão está a gerar ondas de gravidade, havendo cada vez mais derrocadas e desmoronamentos, como se viu na igreja de Todoque, uma localidade que já tinha sido evacuada.

A população continua a assistir, impotente, à força do vulcão.

Ativo há mais de uma semana, já destruiu mais de 500 edificicios, desalojou mais de 6 mil pessoas e arrasou plantações de banana, fonte de rendimento para parte dos 83 mil habitantes da ilha.

O Governo espanhol aprovou um pacote de ajuda de 10,5 milhões de euros para a compra de habitações e bens de primeira necessidade para as pessoas afetadas pelo vulcão Cumbre Vieja.

Veja também: