Mundo

Trump diz que documentos recuperado pelo FBI não eram secretos

Ex-Presidente dos EUA enfrenta três possíveis crimes federais, incluindo a violação da lei da espionagem.

Donald Trump diz que os documentos que o FBI recuperou da casa que tem na Florida, não eram secretos. No entanto, o mandado de busca identifica três possíveis crimes federais, sendo o mais grave a violação da lei da espionagem.

A lei sobre a espionagem foi criada nos Estados Unidos em 1917, dois meses depois da América ter entrado na I Guerra Mundial. Tinha como objetivo evitar a partilha de informações secretas com o inimigo.

É a violação de alguns artigos dessa lei que poderá estar em causa, na investigação a Donald Trump. O mandado de busca, que permitiu a entrada dos agentes do FBI na casa de Trump na Florida, identifica três possíveis crimes federais: violação da lei da espionagem, manuseamento proibido de registos governamentais e obstrução da justiça.

Trump nega todas as acusações e garante que os papeis que levou para a Florida, quando deixou a Casa Branca, não são secretos. Porém, a lista divulgada pelo Departamento de Justiça mostra que várias caixas recuperadas estavam registadas e marcadas como classificadas.

A imprensa norte-americana diz que, nas perto de 20 caixas apreendidas pelos agentes do FBI estarão dezenas de documentos altamente confidenciais – muitos sobre o arsenal nuclear dos Estados Unidos.