Mundo

Telescópio James Webb identifica "sinal claro" de CO2 em atmosfera de exoplaneta

Telescópio James Webb identifica "sinal claro" de CO2 em atmosfera de exoplaneta
NASA
O WASP-39b orbita uma estrela semelhante ao Sol, a cerca de 700 anos-luz da Terra.

O telescópio espacial James Webb identificou, pela primeira vez, evidência "clara" de dióxido de carbono na atmosfera de um exoplaneta localizado num sistema a cerca de 700 anos luz da Terra.

O WASP-39b é um planeta gigante e gasoso que orbita uma estrela de composição e tamanho parecidos com os do Sol. A composição da atmosfera deste planeta é importante para que os cientistas percebam a sua origem e o processo de evolução ao longo do tempo, avança a agência espacial norte-americana (NASA).

A descoberta foi feita através do telescópio Near-Infrared Spectograph, um dos vários equipamentos que constituem o James Webb – lançado a 25 de dezembro de 2021 e que está em órbita a cerca de 1,5 milhões de quilómetros da Terra. Alem do WASP-39b, a investigação pretende também analisar outros dois planetas.

As moléculas de dióxido de carbono são marcadores sensíveis da história da formação do planeta”, explica Mike Line, professor da faculdade da Terra e da Exploração Espacial da Universidade Estatal da Arizona. “Ao medir essa característica de dióxido de carbono, podemos determinar quanto sólido versus quanto material gasoso foi usado para formar este planeta gigante de gás”, uma medição que irá ser feita pela equipa de investigadores que opera o projeto do telescópio James Webb.

Os investigadores conseguiram identificar no espetro de luz captado um “sinal claro de dióxido de carbono”, explica a Natalie Batalha, professora de astronomia e astrofísica na Universidade da Califórnia e líder da equipa. O telescópio James Webb permite media a abundância de gases através da “pequena diferença no brilho que é transmitido pela luz através do espetro de comprimento de onda para determinar exatamente de que é feita a atmosfera”.

Investigações anteriores – utilizando os telescópios Hubble e Spiutzer – permitiram identificar vapor de água, sódio e potássio na atmosfera do WASP-39b, tendo sido dadas “dicas” de que haveria dióxido de carbono também.

O exoplaneta WWASP-39b foi identificado em 2011 e tem cerca de um quarto da massa de Júpiter, apesar de ter 1,3 vezes o seu diâmetro.

Últimas Notícias
Mais Vistos