Mundo

Que som faz um meteorito ao atingir Marte? A NASA divulgou o áudio

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa
SCIEPRO
A sonda espacial InSight captou as ondas sonoras provocadas por um meteorito que embateu na superfície do planeta vermelho.

A sonda espacial InSight captou, pela primeira vez, o som provocado por um meteorito a entrar na atmosfera de Marte e a atingir a superfície do planeta. A NASA, que opera a missão desde 2018, divulgou o áudio online.

A possibilidade de um meteorito atingir a Terra e destruir toda a civilização faz parte de vários guiões cinematográficos de ficção científica. Na verdade, segundo estimativas realizadas pelos cientistas da NASA, o planeta Terra é atingido por cerca de 48,5 toneladas de material espacial todos os dias. No entanto, é raro identificar estes impactos.

Em Marte, a sonda InSight detetou ondas sísmicas associadas ao embate de quatro rochas espaciais que atingiram o planeta vermelho em 2020 e em 2021. Estes embate foi, não só o primeiro a ser detetado pelos sismógrafo desde 2018 – data em que a InSight aterrou no planeta –, como é o primeiro em que foram identificadas ondas acústicas – ou seja, som.

No clip de áudio, divulgado pela NASA, é possível ouvir três impactos: um quando o meteorito entra na atmosfera de Marte, outro quando se desintegra e o terceiro quando atinge a superfície do planeta vermelho. O impacto causou um pequeno sismo de magnitude 2.0.

A sonda espacial estava localizada entre 85 e 290 quilómetros da zona de impacto e conseguiu registar o momento. Os investigadores da NASA publicaram, esta segunda-feira, um artigo científico com as descobertas na revista científica Nature Geoscience.

O primeiro impacto de meteorito que foi confirmado pelas cientistas ocorreu a 5 de setembro de 2021. A rocha entrou na atmosfera marciana, partiu-se em três pedaços e atingiu a superfície provocando três crateras.

Crateras em Marte
NASA/JPL-Caltech/University of Arizona

Posteriormente, a NASA enviou a Mars Reconnaissance Orbiter para confirmar o local do impacto e fotografar as crateras. “Depois de três anos de InSight à espera para detetar o impacto, estas crateras são lindas”, disse Ingrid Adubar, coautora do artigo científico, citada num comunicado da Universidade de Brown.

A InSight registou ainda mais três impactos entre maio de 2020 e agosto de 2021. Os cientistas questionam porque não foram identificados mais impactos de asteroides em Marte. Por estar mais perto da cintura de asteroides – localizada entre Marte e Júpiter – o planeta vermelho é mais propício a ser atingido por asteroides do que o Planeta Terra.

Últimas Notícias
Mais Vistos