Mundo

São já seis as cartas-bomba que chegaram a Espanha numa semana

Loading...

Um dos envelopes era direcionado para o primeiro-ministro, Pedro Sánchez.

São já seis cartas com explosivos que chegaram a Espanha durante a última semana. Um dos envelopes era direcionado para o primeiro-ministro. Esta quinta-feira houve mais uma carta a chegar à embaixada norte-americana em Madrid.

O aparato policial junto à embaixada norte-americana em Madrid mostra uma cidade em estado de alerta. O edifício foi o destinatário mais recente de um novo envelope suspeito, travado a tempo pelas autoridades. Foi ativado um protocolo de segurança para detonar um engenho explosivo.

A reação da ministra da defesa espanhola chegou de Odessa, na Ucrânia. Margarita Robles garante que nenhum “envio ou ato violento irá mudar a compromisso claro e firme da Espanha, dos países da NATO e da União Europeia para defender a Ucrânia”.

Nas redes sociais, a embaixada russa em Espanha reagiu também, dizendo que qualquer ato terrorista com destino a missões diplomáticas deve ser condenado.

Este é o sexto envelope encontrado. O primeiro chegou há uma semana ao palácio da Moncloa e foi neutralizado pelos serviços de segurança. Tinha como destino o chefe de governo, Pedro Sánchez. Um teve como destino a embaixada ucraniana e causou um ferido ligeiro.

Outro chegou a uma empresa de armas em Saragoça que fabrica material militar enviado para a Ucrânia. Houve ainda um para o Ministério da Defesa e outro para uma base aérea nos arredores da capital.

A Polícia Nacional espanhola fez uma detonação controlada de um pacote suspeito que foi encontrado nas proximidades do quartel-general da Força Aérea, apesar de não terem sido detetados quaisquer materiais ou dispositivos explosivos.

Segundo a agência EFE, o pacote, que estava dentro de um balde de esfregona e envolto em plástico azul com documentos de tribunal. Os oficiais estabeleceram um perímetro de segurança na área, obrigando a cortar o trânsito.

As autoridades espanholas dizem que todas os envelopes encontrados são iguais: castanhos e com as moradas escritas a caneta, com a mesma letra. A segurança foi reforçada nos edifícios públicos e os envios estão a ser investigados como atos terroristas.