Mundo

Quando no Qatar se realiza um Mundial de futebol, o Irão condena à morte um futebolista

Quando no Qatar se realiza um Mundial de futebol, o Irão condena à morte um futebolista
FIFPRO

Amir Nasr Azadani será a terceira pessoa a ser executada por reclamar liberdade e respeito pelos direitos das mulheres.

No momento em que se realiza o Campeonato do Mundo de futebol no Qatar, o Irão anunciou a condenação do futebolista Amir Nasr Azadani à pena máxima, ou seja, à morte.

Amir Nasr Azadani é um futebolista iraniano de 26 anos que tem feito carreira no seu país natal. O defesa passou por clubes como o Tractor, um clube histórico que já foi treinado pelo português Toni. Neste momento, o jogador passa pelo maior desafio que já teve na vida, e tudo por causa de liberdade e direitos.

Amir fazia parte do grupo de milhares de iranianos que foram para as ruas protestar por liberdade e respeito pelo direitos das mulheres, depois da morte Mahsa Amini - a jovem curda que morreu sob custódia da polícia depois de ter sido detida por não usar o véu adequadamente e violar os códigos de vestuário islâmicos. Amir fazia parte desse grupo até ser detido pelas autoridades iranianas em novembro e ter sido condenado à morte pelo regime de Teerão.

O nome do jogador surgiu, esta terça-feira, numa lista de 28 pessoas condenadas à morte, divulgada pelo portal IranWire.

A FIFPro, sindicato internacional de jogadores profissionais de futebol, reagiu nas redes sociais a pedir “o cancelamento imediato” da condenação à morte do futebolista.

“A FIFPRO está chocada e enojada com as notícias de que o futebolista profissional Amir Nasr-Azadani enfrenta a execução no Irão depois de fazer campanha pelos direitos das mulheres e pelas liberdades básicas no país”, disse o sindicato internacional de futebolistas.

Alguns antigos futebolistas iranianos também já mostraram apoio a Amir. Ali Karimi, passou pelo Bayern Munique entre 2005 e 2007, publicou na rede social Twitter uma mensagem de solidariedade para com Amir Nasr Azadani.

“Uma das vítimas do Governo que mata crianças. Não execute Amir”, escreveu o antigo futebolista internacional iraniano.

Amir Nasr Azadani será a terceira pessoa a ser executada por causa da associação aos protestos desencadeados pela morte da jovem iraniana Mahsa Amini, depois de Majidreza Rahnavard e de Mohsen Shekari.

A decisão do regime de Teerão em condenar à morte o futebolista de 26 anos aconteceu numa altura em que se realiza a competição mais importante no “mundo” do futebol. O Irão foi uma das seleções que participou no Mundial no Qatar, mas não conseguiu ultrapassar a fase de grupos, com o português Carlos Queiroz ao comando.

Últimas Notícias