País

Aeroporto de Faro já atingiu as reservas de combustível de emergência

Em atualização

LUSA

A gestora dos aeroporto ANA pede aos passageiros que se informem antes de viajarem.

A ANA Aeroportos de Portugal confirma que o fornecimento de combustível foi suspenso no Aeroporto de Faro devido à greve dos motoristas de matérias perigosas e que já foram atingidas as reservas de emergência.

Em comunicado, a ANA Aeroportos de Portugal avança que o fornecimento de combustível no aeroporto de Faro foi "suspenso, pelas empresas petrolíferas, desde ontem à noite".

No Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, a ANA prevê que a interrupção aconteça ao início da tarde.

A gestora dos aeroportos alerta que a operação poderá por isso ser afetada e pede aos passageiros que se informem antes de viajarem.

Sindicato admite que aeroportos fiquem hoje sem combustível

O sindicato que decretou a greve dos motoristas de matérias perigosas prevê que ao início da tarde os aeroportos de Lisboa e Faro fiquem sem combustível.

Sindicato contesta requisição civil

O dirigente sindical Pedro Pardal Henriques diz que o Governo tomou a decisão sem ouvir os grevistas.

O Governo aprovou hoje uma resolução do Conselho de Ministros que reconhece a necessidade de proceder à requisição civil dos motoristas de matérias perigosas em greve desde segunda-feira e por tempo intedeterminado.

"A greve em curso afeta o abastecimento de combustíveis aos aeroportos, bombeiros e portos, bem como o abastecimento de combustíveis às empresas de transportes públicos e aos postos de abastecimento da grande Lisboa e do grande Porto.

A presente requisição civil impõe-se de modo a assegurar a satisfação de necessidades sociais impreteríveis na distribuição de combustíveis, depois de se ter constatado que no dia 15 de abril não foram assegurados os serviços mínimos fixados no Despacho n.º 30/2019, de 10 de abril, dos Ministros do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e do Ambiente e da Transição Energética.

  • Via Sacra – Episódio 2
    26:42