País

Manifestantes interrompem trabalhos no Parlamento para pedir libertação de Rui Pinto

Momento pode ser visto no vídeo.

Um grupo de manifestantes interrompeu esta quinta-feira os trabalhos parlamentares a pedir a libertação do hacker Rui Pinto, criador do Football Leaks e autor das revelações do caso Luanda Leaks.

O Parlamento discutia uma petição e projetos de lei de vários partidos sobre animais, quando um grupo de meia dúzia de pessoas nas galerias, envergando t-shirts brancas, levantou-se e gritou "liberdade para Rui Pinto".

O protesto obrigou Edite Estrela, vice-presidente do Parlamento que conduzia os trabalhos, a interromper a sessão e a pedir à polícia para avisar a essas pessoas da proibição de se manifestarem nas galerias, tendo sido depois retirados.

Esta manifestação acontece no mesmo dia em que mais de uma centena de personalidades ligadas à política, ao desporto, à cultura, ao jornalismo e à educação pediram também a libertação de Rui Pinto, através de um manifesto.

Ana Gomes divulga mensagem de Rui Pinto

A antiga eurodeputada, reconhecida pela luta contra a corrupção, partilhou através da sua conta do Twitter uma mensagem escrita por Rui Pinto, onde o haker afirma que fez "o seu dever como cidadão ao expôr casos" como o "Luanda Leaks".

Ana Gomes explica que a mensagem seria divulgada durante uma conferência acerca da "corrupção na gestão desportiva", em Florença, no entanto a propagação do novo coronavírus em Itália ditou o adiamento do evento.

Veja também: