País

Manifestantes interrompem trabalhos no Parlamento para pedir libertação de Rui Pinto

Manifestantes interrompem trabalhos no Parlamento para pedir libertação de Rui Pinto

Momento pode ser visto no vídeo.

Um grupo de manifestantes interrompeu esta quinta-feira os trabalhos parlamentares a pedir a libertação do hacker Rui Pinto, criador do Football Leaks e autor das revelações do caso Luanda Leaks.

O Parlamento discutia uma petição e projetos de lei de vários partidos sobre animais, quando um grupo de meia dúzia de pessoas nas galerias, envergando t-shirts brancas, levantou-se e gritou "liberdade para Rui Pinto".

O protesto obrigou Edite Estrela, vice-presidente do Parlamento que conduzia os trabalhos, a interromper a sessão e a pedir à polícia para avisar a essas pessoas da proibição de se manifestarem nas galerias, tendo sido depois retirados.

Esta manifestação acontece no mesmo dia em que mais de uma centena de personalidades ligadas à política, ao desporto, à cultura, ao jornalismo e à educação pediram também a libertação de Rui Pinto, através de um manifesto.

Ana Gomes divulga mensagem de Rui Pinto

A antiga eurodeputada, reconhecida pela luta contra a corrupção, partilhou através da sua conta do Twitter uma mensagem escrita por Rui Pinto, onde o haker afirma que fez "o seu dever como cidadão ao expôr casos" como o "Luanda Leaks".

Ana Gomes explica que a mensagem seria divulgada durante uma conferência acerca da "corrupção na gestão desportiva", em Florença, no entanto a propagação do novo coronavírus em Itália ditou o adiamento do evento.

Veja também: