País

Reabertura das fronteiras: o que é permitido a partir desta quarta-feira

O ministro dos Negócios Estrangeiros em entrevista na SIC Notícias.

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, esteve esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise estiveram temas como a tensão entre a Venezuela e a União Europeia, a reabertura das fronteiras e o futuro da TAP.

Gesto de Nicolás Maduro foi "excessivo"

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera que Nicolás Maduro foi excessivo ao expulsar do país a embaixadora da União Europeia na Venezuela. Augusto Santos Silva esclareceu o que deve ser a medida de "reciprocidade" a que se referiu o chefe da diplomacia europeia.

Reabertura das fronteiras

Os Estados-membros da União Europeia decidiram esta terça-feira reabrir as fronteiras externas a partir de quarta-feira a 15 países cuja situação epidemiológica da Covid-19 consideram satisfatória, excluindo desta lista países como Estados Unidos e Brasil.

Para garantir que Portugal continua a ser um destino seguro, o Presidente da República e o primeiro-ministro juntam-se esta quarta-feira ao rei e ao primeiro-ministro de Espanha, em Badajoz e depois em Elvas, para assinalarem a reabertura total das fronteiras entre os dois países.

"Viagens essenciais devem ser permitidas"

Augusto Santos Silva indicou que viagens é que passam a ser permitidas a partir desta quarta-feira. O ministro sublinha que são autorizadas as viagens "essenciais", ou seja, aquelas que não se fazem por razões turísticas.

Santos Silva garantiu que os voos de repatriamento de cidadãos portugueses vão continuar, ressalvando a necessidade de assegurar a segurança devido à pandemia de Covid-19.

Restrições ao Canadá e EUA

Sobre o despacho com as medidas de tráfego aéreo, em vigor desde hoje e até 16 de julho, permitindo voos com destino e a partir de Portugal para países da "União Europeia, Espaço Schengen e do Reino Unido", o chefe da diplomacia portuguesa indicou que as exceções estavam previstas na decisão tomada pela União Europeia (UE).

Quanto aos Estados Unidos e Canadá, as restrições vão ser levantadas para essas viagens essenciais, enquanto países como África do Sul e a Venezuela, como mantêm as fronteiras fechadas, não há "desenvolvimentos expectáveis durante a próxima quinzena", referiu.