País

Próximo ano letivo exige mais trabalhadores não docentes nas escolas

Renovados contratos a mil funcionários, que o sindicato diz serem insuficientes.

O próximo ano letivo exige mais trabalhadores não docentes nas escolas. A um mês do início das aulas grande parte das escolas já concluiu os planos de funcionamneto e os pais estão preocupados com os horários e alunos com necessidades especiais.

Cabe a cada escola criar o plano que melhor se adeque à sua situação num ano letivo mais exigente, à conta da pandemia, os diretores temem que o tempo que falta não chegue e aguardam noticias dos 400 milhões de euros anunciados pelo governo para a Escola Digital.