País

Víuva de Ihor Homeniúk garante que não recebeu condolências apresentadas em abril pelo Governo 

Embaixadora de Ucrânia abandonou entrevista quando foi questionada sobre a as condolências.

A viúva de Ihor Homeniúk garante que nunca recebeu as condolências apresentadas em abril pelo Estado português.

A Embaixada da Ucrânia em Lisboa confirma que, um mês após a morte, o ministro da Administração Interna enviou o voto de pesar à família da vítima através do cônsul, que, entretanto, foi substituído.

Esta semana, o Estado português enviou uma carta de condolências com duas páginas e também uma cópia da última resolução do Conselho de Ministros, onde se compromete a pagar uma indemnização.

INDEMNIZAÇÃO À FAMÍLIA DE IHOR HOMENIÚK SERÁ SUPORTADA PELO ORÇAMENTO DO SEF

A indemnização à família de Ihor Homeniúk vai ser paga pelo orçamento do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

A decisão foi aprovada em Conselho de Ministros e cabe agora à Provedoria de Justiça definir o montante e os termos de pagamento.

PRIMEIRA CERTIDÃO DE ÓBITO REFERE QUE MORTE DE IHOR HOMENIÚK SE DEVEU A CAUSAS NATURAIS

O relatório da Inspeção-Geral da Administração Interna concluiu que houve tentativa de encobrimento do homicídio de Ihor Homeniúk por parte das chefias do SEF no aeroporto de Lisboa. Refere várias irregularidades cometidas durante o período em que a vítima esteve à guarda do Estado português.

Será uma cadeia de cumplicidade e encobrimento que envolve, segundo a IGAI, funcionários do SEF, vigilantes de uma empresa de segurança, enfermeiros e até médicos.