País

Diretor da PSP falou com Marcelo sobre extinção do SEF e criação de polícia nacional 

Em causa está a hipótese da fusão da PSP com o SEF.

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública abordou este domingo, na reunião com o Presidente da República, a fusão da PSP com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

"O que tem sido anunciado e tem sido trabalhado com o Ministério da Administração Interna passará não pela absorção, mas pela fusão entre a PSP e o SEF", afirmou Magina da Silva, depois do encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém.

O encontro acontece após dias de polémica sobre a morte de Ihor Homeniúk nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, em março.

Em declarações aos jornalistas, o diretor da PSP disse ter falado sobre a intenção de extinguir a PSP e o SEF para dar origem a uma polícia nacional, como tem acontecido em vários países europeus.

"E surge uma polícia nacional, como, aliás, acontece em Espanha, França e Itália", descreveu.

A hipótese de extinção do SEF e a transferência de competências para a PSP e GNR foi noticiada nos últimos dias pelo Expresso, mas ainda não teve qualquer comentário da parte do Governo.

"É um dia de tristeza, mas também de orgulho"

Magina da Silva falou ainda sobre o agente da PSP que morreu este domingo depois de ter sido atropelado pela viatura de um suspeito de violência doméstica.

O diretor da PSP destacou o facto de o agente estar de folga, mas mesmo assim ter cumprido o dever, considerando que a ação é motivo de orgulho.