País

Eduardo Cabrita “não tem noção da fragilidade em que está”

Pedro Cruz analisa as declarações do ministro da Administração Interna no parlamento.

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, foi esta terça-feira ouvido no parlamento sobre a morte de Ihor Homeniúk, quando estava à guarda dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras. Pedro Cruz, diretor de informação da SIC Notícias, considera que o ministro “não esclareceu os portugueses, nem esclareceu os deputados”.

“Eu julgo que os deputados perceberam que o ministro não ia responder a nada de concreto do que queriam saber. Aliás, o presidente da comissão fez um pouco de jornalista e disse ‘o senhor ministro esqueceu-se de responder aqui a três perguntas ou quatro’ e volta a fazê-las. E Eduardo Cabrita volta a não responder”, diz Pedro Cruz na Edição da Tarde da SIC Notícias.

Para o jornalista, “este ministro não tem noção e, sobretudo, não tem noção da fragilidade em que está”. Pedro Cruz considera que “Eduardo Cabrita e António Costa se estão a esquivar” da responsabilidade política desde 29 de março, quando foi conhecida a autópsia de Ihor Homeniúk, onde se concluiu que o homem ucraniano foi assassinado.

“A partir daí, há uma sucessão de erros políticos, omissões políticas, de encobrimentos absolutamente inaceitáveis”, considera Pedro Cruz.

Em relação às declarações do diretor nacional da PSP que, depois de uma reunião com Marcelo Rebelo de Sousa disse que o SEF deveria ser integrado na PSP, Eduardo Cabrita escusou-se a anunciar a demissão de Magina da Silva.

“Pelos vistos ele não quer demitir o diretor nacional da PSP, porque também não se quer demitir a ele próprio. No limite a responsabilidade política é toda deste ministro”, afirma ainda o diretor de informação.