País

Morte de Ihor Homeniuk é "um rombo que o país vai ter de superar", diz Santos Silva

Ucraniano terá sido vítima do crime de homicídio por parte de três inspetores do SEF. Ministro dos Negócios Estrangeiros diz que as instituições do Estado funcionaram.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, foi um dos que defendeu o colega de Governo Eduardo Cabrita, no caso da morte de Ihor Homeniuk, nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, no Aeroporto de Lisboa.

Augusto Santos Silva diz que as instituições do Estado funcionaram e que o homícidio do ucraniano Ihor Homeniuk é um rombo que o país vai ter de superar.

Em entrevista à agência LUSA, Augusto Santos Silva insistiu que é preciso apurar responsabilidades, de forma implacável.

Ihor Homeniuk terá sido vítima do crime de homicídio por parte de três inspetores do SEF, já acusados pelo Ministério Público, com a alegada cumplicidade de outros 12 inspetores. O julgamento deste caso terá início em 20 de janeiro.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, vai ser ouvido esta terça-feira à tarde no Parlamento sobre o caso. A audição vai acontecer na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e decorre de pedidos do PSD e da deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira (ex-Livre).