País

Extinção do SEF dá lugar ao Serviço de Estrangeiros e Asilo

O ministro Eduardo Cabrita anuncia que os inspetores do atual SEF irão ser transferidos para a PSP, a GNR e a PJ.

O sindicato dos investigadores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiros (SEF) alerta que a extinção deste órgão de polícia criminal pode fazer disparar o risco de ataques terroristas. A nova estrutura anunciada pelo Governo vai chamar-se Serviço de Estrangeiros e Asilo e prevê a transferência dos inspetores do SEF para a PSP, GNR e Polícia Judiciária (PJ).

Depois do escândalo da morte de Ihor Homeniuk, nada será como antes. Para que não se repita uma situação que, como disse o ministro Eduardo Cabrita, “envergonha-nos a todos”, o Governo quer uma mudança radical no atual SEF, com transferência de competências para as diferentes polícias. A decisão tem de ser aprovada na Assembleia da República.

Caso avance, o Serviços de Estrangeiros e Asilo terá como função apoiar os imigrantes e os refugiados que vivem em Portugal. A investigação criminal muda de mãos. No entanto, os inspetores temem o aumento da criminalidade.

Esta reforma, segundo avança o Governo, vai chegar também à PSP e à GNR, através da partilha de serviços comuns. O Executivo prevê concluir o processo até ao final da legislatura.

  • 2:55