País

Proibida circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana

Pedro Nunes

Saiba que concelhos avançam e recuam no desconfinamento.

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou esta quinta-feira que o país está numa "situação preocupante", com a incidência de novos casos de covid-19 e o risco de transmissibilidade a aumentarem.

A incidência situa-se nos de 90,5 casos por 100 mil habitantes e o Rt (grau de transmissibilidade de infeção) para Portugal continental está nos 1,13, precisou Mariana Vieira da Silva.

"Estamos hoje claramente numa situação já bastante longe da zona verde e, portanto, o país está numa situação mais preocupante do que estava há uma semana, como um todo, com as desigualdades territoriais que conhecem", afirmou a ministra.

Segundo a governante, a situação de todo o país que é neste momento "mais preocupante" do que a que se vinha a assistir com o índice de transmissibilidade "já claramente superior a 1" e com uma incidência que, sendo ainda mais baixa do quando se iniciou o período de desconfinamento, "a verdade é que está num crescimento significativo".

Lisboa vai retomar a proibição de circulação para dentro e fora da área metropolitana ao fim de semana. A proibição vigora entre as 15:00 de sexta-feira e as 6:00 de segunda-feira e serve “para procurar conter o aumento da incidência na Área Metropolitana de Lisboa”.

O agravamento da incidência na AML, diz a ministra quando questionada sobre as declarações de ontem de António Costa, acontece porque, pela segunda vez, alguns concelhos desta região ultrapassam os 120 casos por 100 mil habitantes, a primeira das linhas vermelhas da matriz de risco.

Mariana Vieira da Silva anunciou ainda que está previsto um reforço da fiscalização por parte das autoridades.

Apesar de não serem permitidas entradas e saídas na Área Metropolitana de Lisboa, a circulação entre os concelhos inseridos nesta área não está proibida, explicou a ministra.

Os concelhos de Alcochete, Águeda, Almada, Amadora, Barreiro, Grândola, Lagos, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Seixal, Setúbal, Sines, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira estão em situação de alerta.

Estes 20 concelhos correm o risco de, numa segunda avaliação da incidência acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, travar o desconfinamento.

Apenas Sesimbra está na “zona vermelha”, mas há um “número muito alargado” de concelhos no "laranja" face aos dados registados na última semana.

A maioria destes concelhos fica na região de Lisboa e, nestes casos, há um congelamento nas medidas, mas também um risco de recuo no desconfinamento caso registem, em duas avaliações consecutivas, uma incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes. São eles Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã, Sintra e Sesimbra.

Em sentido inverso, Alcanena, Paredes de Coura, Santarém e Vale de Cambara recuperaram as taxas de incidência e acompanham a maioria do país no desconfinamento.

Os restantes 268 concelhos de Portugal Continental ficam na nova fase do plano de desconfinamento.

Na nova fase do plano de desconfinamento, que entrou em vigor no passado dia 10 de junho, o teletrabalho é recomendado nas atividades que o permitam; o comércio pode funcionar com o horário do respetivo licenciamento; os restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de seis pessoas no interior ou 10 pessoas em esplanadas) podem funcionar até à meia-noite para admissão de clientes e 01:00 para encerramento; e os equipamentos culturais podem funcionar até à 01:00 (ficando excluído o acesso, para efeitos de entrada, a partir das 00:00), com as salas de espetáculo limitadas a uma lotação de 50%.

Outras das regras que se aplicam nesta nova etapa são que os transportes públicos podem circular com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação no caso de terem exclusivamente lugares sentados (táxis e viaturas de transporte em veículos descaracterizados a partir de plataformas eletrónicas -- TVDE - com lotação limitada aos bancos traseiros); a lotação para casamentos e batizados continua a estar limitada a 50% do espaço; e a prática desportiva passa a poder ter público no caso das modalidades amadoras, com lugares marcados e lotação restrita a 33% do espaço.

Consulte abaixo o documento apresentado pela ministra na conferência de imprensa:

Caso não consiga visualizar, clique aqui.

  • Dentro do coração
    4:23

    Futuro Hoje

    Há 7 anos no Futuro Hoje mostrámos pela primeira vez um pacemaker que se instala dentro do coração. Em Portugal há muitas pessoas a quem este aparelho salvou a vida. Só o Dr. Diogo Cavaco, cardiologista que introduziu esta técnica no país, já instalou mais de cem aparelhos destes.