País

Acidente com carro do MAI. Advogado da família da vítima mortal garante que homem tinha colete

Brisa garante que local estava sinalizado. Ministro da Administração Interna continua em silêncio.

A Brisa desmente o Ministério da Administração Interna e garante que o local onde ocorreu o acidente que envolveu o carro em que seguia o ministro Eduardo Cabrita estava devidamente sinalizado. Em entrevista à SIC, o advogado da família da vítima mortal assegura que o trabalhador tinha colete.

O acidente aconteceu aos quilómetros 67 na A6 entre Estremoz e Évora. A Arquijardim, a empresa onde a vítima trabalhava, já participou o acidente à seguradora.

A vítima, de 43 anos, era chefe de equipa e estava acompanhada por três colegas. Deixa duas filhas.

De acordo com fonte da Brisa, "a sinalização dos trabalhos de limpeza realizados na berma direita da A6, estava a ser cumprida pela ArquiJardim conforme os procedimentos de segurança adequados para este tipo de intervenção".

Quer isto dizer que a obra estaria devidamente sinalizada, o que contraria a informação do gabinete do ministro enviada no dia a seguir ao acidente e reiterada esta terça-feira.

No comunicado, o ministério afirmava que "não havia qualquer sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos de limpeza em curso".

O caso continua a ser investigado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora.

Esta terça-feira, o CDS voltou a exigir o esclarecimento das circunstâncias e a que e velocidade seguia o carro.

O ministro Eduardo Cabrita continua em silêncio.