País

Detenção de Vieira. Partidos sublinham papel da Comissão Parlamentar

Presidente do Benfica foi detido esta quarta-feira.

Os partidos políticos já reagiram, à exceção do PS. A maior parte sublinha o trabalho feito pela Comissão de Inquérito sobre as perdas do Novo Banco e que estarão relacionadas com a detenção de Luís Filipe Vieira.

"A Comissão expõe o que andaram a fazer", diz Hugo Carneiro, do PSD.

Mariana Mortágua, do Bloco de Esquerda, diz que "contribui, sobretudo, para a pressão pública".

Jerónimo de Sousa, do PCP, apela a que os factos sejam averiguados.

Cecília Meireles, do CDS: "Que este trabalho seja aproveitado pela Justiça".

Já Inês Sousa Real, do PAN, diz que não há cidadãos "intocáveis para a Justiça.

André Ventura, do Chega, pede que a Justiça seja "rápida, eficaz e transparente".

Luís Filipe Vieira detido

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi esta quarta-feira detido. Vai ser presente na quinta-feira ao juiz Carlos Alexandre e vai passar a noite na prisão. Em causa estão suspeitas de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento.

Vieira vai passar a noite na prisão e vai ser presente esta quinta-feira ao juiz Carlos Alexandre.

A investigação envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros com prejuízos para o Estado.

Além de Luís Filipe Vieira, foram detidas outras três pessoas: Tiago Vieira, filho de Luís Filipe Vieira, José António dos Santos, conhecido por "Rei dos frangos", e Bruno Macedo, empresário de Braga ligado ao futebol.

  • Merkel: mãe e verbo da Alemanha moderna

    Angela Merkel

    Carinhosamente chamada pelos alemães de "Mutti" (mãe), protagonizou um estilo único de fazer política na Alemanha. Não era uma grande oradora, nem fazia discursos inspiradores, mas a postura pragmática valeu-lhe respeito e admiração. "Merkeln" passou a ser verbo na Alemanha, em alusão à forma como a chanceler toma decisões.

    Ana Luísa Monteiro