País

Paulo Guichard libertado: "Fugir é um ato de cobardia"

À saída da prisão, o antigo braço direito de João Rendeiro disse estar disponível para "assumir as responsabilidades e alguns erros que tenha feito".

O Supremo Tribunal de Justiça ordenou esta quinta-feira a libertação de Paulo Guichard enquanto aguarda o trânsito em julgado no processo BPP . À saída da prisão, Guichard afirmou que pretende "enfrentar o futuro com dignidade".

O antigo administrador do BPP garantiu que estará sempre disponível para "assumir as responsabilidades e alguns erros que tenha feito".

Paulo Guichard admitiu que existem "fragilidades no processo BPP", que devem ser assumidas pelas pessoas

O arguido no caso BPP nega ter falado com João Rendeiro e diz mesmo que fugir é "uma ato de cobardia".

Paulo Guichard não afasta a hipótese de voltar à prisão: "Da mesma forma que saí hoje, se for necessário voltar a entrar, vou entrar com a cabeça erguida e com desejo de ser um ser melhor".

VEJA TAMBÉM: