País

Rui Rio admite viabilizar Governo PS e coloca Chega fora da equação

O plano do líder do PSD caso perca as eleições ou ganhe sem maioria absoluta.

Rui Rio admite estar disponível para viabilizar um Governo do PS, caso o PSD perca as próximas eleições. O presidente do partido também admite procurar entendimento com os socialista num cenário em que seja o PSD a vencer as eleições, mas sem maioria absoluta. Fora da equação está o Chega.

É o plano B de Rui Rio para o pós-legislativas: “O meu PSD está disponível para conversar com o PS”. Uma hipótese que é colocada pelo líder dos sociais-democratas caso perca as eleições ou caso vença sem maioria absoluta. Mas em caso de vitória, há também disponibilidade para negociar com a Iniciativa Liberal e o CDS.

Fora do leque fica o Chega. Rui Rio quis clarificar, em entrevista à RTP, as reais possibilidades de entendimento com André Ventura.

Mas antes de tudo isso, Rio tem de vencer Paulo Rangel e ser candidato do PSD a primeiro-ministro. A eleição é daqui a 15 dias e o atual líder decidiu que não vai fazer campanha interna para não dar trunfos ao PS com as críticas do eurodeputado.

Rangel já se vê como primeiro-ministro e aponta à maioria absoluta, num discurso como se já fosse líder do PSD.

► Veja mais:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros