País

Regresso às aulas adiado e discotecas fechadas uma semana

Conheça as novas medidas de combate à pandemia de covid-19.

O primeiro-ministro António Costa anunciou esta quinta-feira as novas medidas de combate à pandemia de covid-19, em Portugal, que vai entrar em situação de calamidade a partir de 1 de dezembro.

Entre as medidas anunciadas pelo chefe de Governo estão o uso obrigatório de máscara em todos os espaços fechados e o teste obrigatório para entrada em lares e recintos desportivos.

Estas medidas entram em vigor a 1 de dezembro.

Na semana a seguir à passagem de ano, entre 2 e 9 de janeiro, haverá medidas mais restritivas para evitar o cruzamento de pessoas fora dos agregados familiares.

As novas medidas

Recomendações gerais:

  • Testagem regular;
  • Teletrabalho.

Declarada a situação de calamidade a partir de 1 de dezembro.

Máscara obrigatória em espaços fechados e todos os recintos não excecionados pela DGS.

Certificado digital obrigatório no acesso a:

  • Restaurantes;
  • Estabelecimentos turísticos e alojamento local;
  • Eventos com lugares marcados;
  • Ginásios.

Teste negativo obrigatório (mesmo para vacinados) no acesso a:

  • Visitas a lares;
  • Visitas a pacientes internados em estabelecimentos de saúde;
  • Grandes eventos sem lugares marcados ou em recintos improvisados e recintos desportivos.

Teste negativo obrigatório para todos os voos que cheguem a Portugal.

Sanções fortemente agravadas para as companhias de aviação, que serão multadas em 20 mil euros por cada passageiro sem teste.

Semana de contenção de contactos (entre 2 e 9 de janeiro):

  • Teletrabalho obrigatório;
  • Recomeço das aulas a 10 de janeiro;
  • Encerramento de discotecas.

Veja aqui o documento completo do Conselho de Ministros.

Portugal em situação de calamidade a partir de 1 de dezembro

Portugal continental vai entrar a 1 de dezembro em situação de calamidade.

"O Conselho de Ministros aprovou elevar o nível de alerta para o nível de calamidade a partir do próximo dia 01 de dezembro de forma a que estejamos habilitados com o quadro legal necessário para podermos adotar as medidas adequadas e proporcionais ao risco", disse António Costa no conferência de imprensa do final da reunião do Conselho de Ministros no qual foram decididas novas medidas para conter a pandemia.

Portugal Continental regressa à situação de calamidade pela segunda vez em 2021, depois de ter estado neste nível entre 1 de maio e 30 de setembro. O país estava em situação de alerta desde 1 de outubro.

Teletrabalho volta a ser recomendado e é obrigatório entre 2 e 9 de janeiro

O teletrabalho volta a ser recomendado e será obrigatório entre 2 e 9 de janeiro, semana de contenção de contactos após as festividades do Natal e do fim do ano.

"Sempre que possível, o teletrabalho é recomendável para evitar excesso de contactos que permitam agravar a situação de pandemia", disse.

O teletrabalho tinha deixado de ser recomendado a 1 de outubro.

Uso de máscara e testes negativos

O uso de máscara vai voltar a ser obrigatório em todos os espaços fechados.

"As máscaras passam a ser obrigatórias em todos os espaços fechados que não sejam em excecionados pela Direção-Geral da saúde", anunciou António Costa na conferência de imprensa.

Segundo o primeiro-ministro, a medida é um dos três principais instrumentos para conter a pandemia de covid-19, juntamente com o reforço da testagem e da utilização do certificado digital.

A apresentação de um teste negativo ao novo coronavírus à entrada vai passar a ser obrigatória nos recintos desportivos, mesmo para vacinados.

Além dos recintos desportivos, também vai necessário apresentar teste negativo em "grandes eventos sem lugares marcados ou em recintos improvisados".

Vacinas para crianças chegam a partir de 20 de dezembro

Na conferência de imprensa, o primeiro-ministro destacou a elevada taxa de vacinação em Portugal, que "tem permitido salvar vidas".

António Costa afirmou que é “graças a uma maior vacinação” que Portugal tem tido um menor número de internamentos àquele verificado em outros países da Europa, menos óbitos e infetados.

Sobre a vacinação de crianças dos 5 aos 11 anos, diz que, se a comissão nacional de vacinação recomendar, o país estará em condições de assegurar as vacinas.

O primeiro lote, de 300 mil da Pfizer, chegará no dia 20 de dezembro. As restantes 462 mil vacinas chegam em janeiro.

"Estaremos preparados para vacinar as 637.907 crianças que são elegíveis, estando já contratualizado com a Pfizer o calendário de fornecimentos, que começarão a chegar a Portugal no dia 20 de dezembro, tendo em vista garantir o aprovisionamento necessário das vacinas pediátricas -- que são distintas. No dia 20 de dezembro está contratada a chegada do primeiro lote de 300 mil vacinas e durante o mês de janeiro chegarão mais 462 mil", disse.

Mais de 3 mil casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 15 mortes e 3.150 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 18.385 mortes e 1.133.241 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando ativos 49.525 casos, mais 1 493 em relação a ontem.

O boletim da DGS revela que estão internados 691 doentes, mais 10 do que ontem. Nos cuidados intensivos estão 103 doentes, menos 2.

Saiba mais: