País

Nesta quadra, o apelo é ao "civismo e responsabilidade" para travar a Ómicron

Loading...
O presidente da Secção Regional Centro da Ordem dos Médicos avisa que, em breve, a variante Ómicron vai tornar-se dominante.

Os próximos dias vão ser "difíceis" e é preciso que as pessoas tenham noção de que são necessários cuidados "redobrados". O alerta é de Carlos Cortes, presidente da Secção Regional Centro da Ordem dos Médicos.

"A variante Ómicron que anda em circulação tem muito maior poder de contágio, de infetar mais pessoas. E há previsões do INSA (Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge) de que esta variante se tornará, até ao final desta semana, a variante dominante", avisou.

Dando o exemplo da região do Médio Tejo, onde trabalha, Carlos Cortes revelou na antena da SIC Notícias que os "dados dos testes que temos tido mostram que, neste momento, a Ómicron já é predominante em 52% dos casos. Isto é preocupante porque há dez dias tínhamos uma percentagem de 2/3% desta variante".

"Isto obriga as pessoas a terem cuidados redobrados porque (...) ninguém quer ver acontecer nos hospitais aquilo que aconteceu há um ano, com a rutura dos serviços, dos cuidados intensivos, dos internamentos e das urgências", lembrou.

Apesar de a situação atual não ser a mesma, "vamos atravessar dias dificeis, de encontros familiares e por vezes de algum descuido e de alguma irresponsabilidade", pelo que as pessoas têm de dar um "prova de maior civismo, de maior responsabilização" para evitar o pior.

Saiba mais

Últimas Notícias
Mais Vistos