País

Fernando Medina lamenta a decisão de Sérgio Figueiredo

Fernando Medina lamenta a decisão de Sérgio Figueiredo
Thierry Monasse
Sérgio Figueiredo renunciou ao cargo de consultor do ministro das Finanças

O ministro das Finanças, Fernando Medina, lamentou esta quarta-feira a renúncia de Sérgio Figueiredo ao cargo de consultor.

“Lamento profundamente a decisão anunciada por Sérgio Figueiredo, mas compreendo muito bem as razões que a motivaram"

Através de um comunicado, o ministro diz que o ex-diretor de informação da TVI reunia as condições para desempenhar o papel de consultor do Ministério das Finanças, lamentando ainda não poder contar com esse "valioso contributo".

Sérgio Figueiredo reúne excelentes condições para desempenhar tais funções. A sua formação em Economia; a experiência de quase três décadas como jornalista e diretor de diversos órgãos de comunicação social, incluindo dois jornais económicos – tendo-se afirmado nessa qualidade como um dos mais destacados analistas nacionais de política económica; e a liderança de cerca de sete anos e meio de uma fundação nacional conferem-lhe experiência e qualificações que o distinguem.

Lamento pois não poder contar com o valioso contributo de Sérgio Figueiredo ao serviço do interesse público.

Medina afirma ainda que é uma necessidade do ministério ter uma pessoa que faça "contacto regular e informado com os principais agentes económicos e sociais do país". Mas garante compreender as razões que motivaram a desistência.

Sérgio Figueiredo renuncia ao cargo de consultor de Medina

Sérgio Figueiredo anunciou na terça-feira, num artigo no jornal de Negócios, que renunciou ao cargo de consultor do ministro das Finanças, Fernando Medina.

"Não há outra forma de o dizer: desisto", começou por dizer num texto assinado pelo próprio, onde condena os "moralistas sem vergonha" e os "analistas sem memória."Vergo-me aos assassínios de caráter, atingido pela manada em fúria, ferido por um linchamento público e impiedoso. É lixado desistir", afirmou.

"Para mim chega! Sou a partir deste momento o ex-futuro consultor do ministro das Finanças. Sossego as almas mais sobressaltadas de que não cheguei a receber um cêntimo, sequer formalizei o contrato que desde a semana passada esperava pela minha assinatura", pode ler-se no Jornal de Negócios.

A nomeação e as polémicas

O Ministério das Finanças tinha contratado Sérgio Figueiredo como consultor estratégico para fazer a avaliação e monitorização do impacto das políticas públicas.

A contratação de Sérgio Figueiredo pelo ministro das Finanças veio trazer à superfície novas polémicas.
O Ministério divulgou o contrato que dá conta de um vencimento bruto de mais de 5.800 euros mensais.

Loading...

Além disso, quando o Fernando Medina estava à frente da Câmara de Lisboa, contratou uma empresa criada por Sérgio Figueiredo e pela namorada, Margarida Pinto Correia, para produzir uma campanha de promoção de comércio local.

O trabalho desempenhado pela empresa de Figueiredo, em Lisboa, foi realizado em 13 dias e consistia em reunir vídeos de celebridades a apelarem à compra local, na altura do Natal. Por esta campanha, a empresa recebeu 30 mil euros.

Loading...
Últimas Notícias
Mais Vistos