País

Eleições em Angola: confrontos em Lisboa entre a polícia e eleitores

Eleições em Angola: confrontos em Lisboa entre a polícia e eleitores
AMPE ROGERIO
Confrontos registados junto ao consulado de Angola, em Alcântara

Durante a madrugada desta quinta-feira, registaram-se confrontos entre as autoridades e eleitores angolanos, junto ao Consulado Geral de Angola, em Lisboa.

Vários eleitores atiraram pedras contra um autocarro que transportava funcionários da embaixada angolana. Um polícia terá sido atingido.

Nas imagens divulgadas nas redes sociais, é possível ouvir os eleitores a acusar membros do MPLA de fugir com votos e de não publicarem as atas com os resultados apurados.

Ninguém foi detido, nem identificado.

Resultados provisórios dão vitória ao MPLA

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola anunciou nas primeiras horas desta quinta-feira os resultados provisórios das eleições gerais, que dão uma vitória ao MPLA quando estão apurados 33,6% dos votos.

  • MPLA: 60,65%
  • UNITA: 33,85%

Segue-se o Partido da Renovação Social com 1,45%, a Frente Nacional para a Libertação de Angola com 1,28%, o Partido Humanista de Angola com 1,05%, a coligação Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE) com 0,70%, a Aliança Patriótica Nacional (APN), com 0,51% e o Partido Nacionalista para Justiça (P-NJANGO) com 0,48%.

Estes são os primeiros resultados a serem divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral angolana, que legalmente tem 15 dias deste a data da votação para divulgar os resultados definitivos.

Cerca de 14 milhões de angolanos tiveram esta quinta-feira oportunidade de escolher o seu futuro Presidente.

UNITA fala em "tendência de vitória em todo o país" e diz que dados da CNE "não são fiáveis"

Loading...

O candidato a vice-Presidente pela UNITA, Abel Chivukuvuku, garante que os dados provisórios apontam para “uma tendência de vitória da UNITA em todo o país”.

“Os nossos centros de escrutínio estão avaliar atas sínteses que estão a ser publicadas extensivamente nas redes sociais e que dão claros indicadores provisórios de vitória da Unita em todas províncias do país”, afirma Abel Chivukuvuku em conferência de imprensa.

O militante da UNITA garante que os indicadores da CNE de Angola “não são fiáveis” e baseia a sua afirmação com os documentos partilhados nas redes sociais.

Últimas Notícias
Mais Vistos