País

O nome do setor da saúde que está a dar que falar: quem é Fernando Araújo?

Loading...
Chegou a ser apontado como possível sucessor de Marta Temido.

Aquando da demissão de Marta Temido, Fernando Araújo chegou a ser apontado como um dos possíveis sucessores, pelo trabalho que tem feito no Hospital de S. João e pelo reconhecimento que junto dos profissionais de saúde.

Fernando Araújo tem 56 anos e um longo currículo na área da saúde.

À frente do S. João desde fevereiro de 2019, Fernando Araújo ganhou notoriedade pela maneira como lidera o maior hospital da região norte. Uma gestão posta à prova durante a pandemia de covid 19, em especial na primeira vaga.

Foi com este presidente do conselho de administração que, depois de estar 12 anos na gaveta, arrancou a construção da nova ala pediátrica. A obra foi inaugurada no final do ano passado, a 11 de dezembro. Foi o concretizar de um sonho que pôs fim ao internamento de crianças em contentores.

Um dia feliz, a que se sucedeu um dos dias mais negros da história do hospital e da carreira de Fernando Araújo.

A 19 de dezembro, um incêndio no serviço de pneumologia causou um morto e quatro feridos graves. O conselho de administração apresentou a demissão. A então ministra da saúde Marta Temido rejeitou o pedido, manifestando total solidariedade e confiança na equipa.

Doutorado em medicina e com uma pós-graduação em gestão, Fernando Araújo ocupou durante vários anos um lugar de destaque na administração regional de saúde do norte.

Foi um dos responsáveis pela implementação do programa de cirurgia de ambulatório e revolucionou a organização dos hospitais do norte com a criação das urgências metropolitanas.

Entre 2015 e 2018 foi secretário de Estado Adjunto e da Saúde do ex-ministro Adalberto Campos Fernandes. Abandonou o Governo quando o ministro foi afastado e substituído por Marta Temido.

Ultimamente tem assumido uma posição crítica da gestão do Serviço Nacional de Saúde. Ao longo dos últimos quatro meses, em crónicas publicadas no "Jornal de Notícias", denunciou a incapacidade do SNS em cativar os profissionais. Escreveu sobre a falta de medidas concretas e a ausência de estratégia nas decisões.

Esta terça-feira, dia em que se soube que foi convidado para ser o novo CEO do SNS, assinou a última crónica.

O nome de Fernando Araújo chegou a ser avançado como ministeriável, antes de ser conhecida a escolha de Manuel Pizarro.

Últimas Notícias
Mais Vistos