As Causas

“Admite-se que o palerma do ministro da Administração Interna diga que a compensação não tem relevância?”

Opinião

José Miguel Júdice acusou esta terça-feira o ministro da Administração Interna de ser “palerma" pelas declarações que fez aos jornalistas aquando da visita a Odemira. Em causa o realojamento de imigrantes em Odemira.

O comentador SIC considera que a entrevista que Eduardo Cabrita deu foi “uma vergonha”.

“Os jornalistas a perguntar a única coisa que interessava saber e ele a responder ao lado”, afirma.

Governo mantém Zmar como opção para realojar imigrantes em Odemira

O Governo mantém o complexo turístico Zmar como uma opção para realojar os imigrantes de Odemira. A solução foi reiterada pelo ministro da Administração Interna.

No final de uma reunião com a equipa que está a gerir a situação no concelho, Eduardo Cabrita sublinhou que a saúde pública esteve na base da decisão.

Segundo o governante, o Zmar “está licenciado como parque de campismo”, que se encontra em “situação de insolvência” e em que “o Estado é o maior credor”.

“É nesse quadro, de uma unidade que está encerrada na sua atividade, que está disponível, ao lado de outras duas unidades”, disse, referindo-se à Pousada da Juventude de Almograve e à Residência de Estudantes de Odemira.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros