Cultura

Ministra da Cultura lamenta morte de "figura ímpar" do teatro português

Fernanda Lapa morreu esta quinta-feira com 77 anos.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou esta quinta-feira a morte da atriz e encenadora Fernanda Lapa, que classificou como uma "figura ímpar da história do teatro português nos últimos 50 anos".

Numa publicação na rede social Twitter, o Ministério da Cultura salientou que Fernanda Lapa deu, através do seu trabalho, "oportunidade, palco e voz às mulheres na representação".

A atriz e encenadora Fernanda Lapa morreu hoje, aos 77 anos, em Cascais, onde estava hospitalizada, anunciou a Escola de Mulheres, companhia que dirigiu desde a sua fundação, em 1995.

"É com profundo pesar e imensa tristeza que a Escola de Mulheres comunica a morte de Fernanda Lapa, diretora artística desta companhia desde a sua fundação, em 1995", pode ler-se no comunicado.

Várias vezes premiada, Fernanda Lapa coordenou as comemorações do centenário de Bernardo Santareno, que se assinala este ano, de quem a Escola de Mulheres vai levar ao palco, em novembro, a obra "O Punho", com versão cénica da atriz e encenadora.

A fundação da Escola de Mulheres surgiu, em 1995, para "romper com o estado de coisas a que estavam remetidas as mulheres no teatro português".

"Ao longo dos séculos, a voz das Mulheres foi silenciada em várias áreas, e também na Cultura, e não vale a pena escamotear esta realidade.

Várias vezes premiada, Fernanda Lapa coordenou as comemorações do centenário de Bernardo Santareno, que se assinala este ano, de quem a Escola de Mulheres vai levar ao palco, em novembro, a obra "O Punho", com versão cénica da atriz e encenadora.

Entre as distinções que recebeu conta-se, em 2005, a Medalha de Mérito Cultural, do Ministério da Cultura, que Graça Fonseca lembra ter-lhe sido atribuída "pelo seu serviço de exceção na ação e divulgação cultural em Portugal e pelo seu papel pioneiro enquanto mulher no teatro".

"É esse mesmo mérito que hoje nos cumpre recordar e realçar, o de alguém que constantemente se transformou pela arte e, também, com arte, transformou o teatro português e, com ele, um pouco de nós. O seu trabalho tanto nos encantou como fez de nós mais atentos, mais conhecedores e mais humanos, mostrando-nos, em cada um dos seus projetos, que o teatro e a arte da representação são dimensões fundamentais da vida em sociedade", salienta a ministra da Cultura.

Graça Fonseca considera que Fernanda Lapa deixa na cultura portuguesa "um legado de paixão e dedicação, que deve sempre ser continuado".

"Porque essa é a homenagem que merece e que lhe devemos: olhar e ver sempre os horizontes imensos que ela, para todos nós, abriu".

  • 21:07