Desporto

As reações políticas aos insultos racistas contra Marega

MANUEL FERNANDO ARAUJO

Portista abandonou pediu para ser substituído, no jogo com o Vitória de Guimarães, após cânticos racistas.

O maliano Moussa Marega abandonou este domingo o relvado do Estádio Dom Afonso Henriques, poucos minutos após marcar o golo do triunfo do FC Porto (2-1), e apesar dos intentos dos colegas e adversários em o demover, por insultos racistas.

Do mundo do futebol, Sérgio Conceição, Sporting, Fernando Gomes, Liga de Clubes estão entre aqueles que reagiram à situação. Mas também houve reações políticas ao caso de racismo.

Governo diz que racismo é intolerável e que responsáveis vão ser punidos

O secretário de Estado da Juventude e Desporto considerou que o incidente intolerável e inaceitável, assegurando que as autoridades estão a identificar os responsáveis, a fim de serem punidos.

"O que aconteceu esta noite no jogo entre Vitória Sport Clube e FC Porto é absolutamente intolerável é inaceitável. Os insultos dirigidos ao jogador Marega envergonham todos quantos pugnam por uma sociedade inclusiva. Os valores do desporto nada têm que ver com estas atitudes racistas, xenófobas e ignóbeis", começou por dizer João Paulo Rebelo, em declarações à agência Lusa.

João Paulo Rebelo assegurou o empenho das autoridades para a identificação e punição dos responsáveis por estes atos.

"Por fim, uma palavra ao injuriado Marega, excelente profissional, a quem quero reconhecer uma atitude de grande dignidade e que ajuda a que todos quantos amam o desporto se juntem no combate à intolerância, ao racismo e violência no desporto", rematou João Paulo Rebelo.

Líder do BE diz que "racismo não é opinião, é crime"

"Não sigo futebol, não tenho clube e raramente acompanho o que se passa nos jogos. Mas hoje adepta de Marega me confesso. Racismo não é opinião. É crime", lê-se numa publicação na conta oficial de Catarina Martins no Twitter.

Também o deputado do BE Luís Monteiro utilizou o Twitter para escrever sobre este episódio.

"'Não há racismo em Portugal' ep. 46542367 O jogador do FCPorto Marega abandonou, hoje, o campo após os adeptos nas bancadas imitarem um macaco cada vez que ele tocava na bola. O Desporto não é isto. Viver no século XXI não pode ser isto", defende.

Líder do CDS pede punição para manifestações de racismo

Francisco Rodrigues dos Santos recorreu ao Twitter para dizer que "as manifestações de racismo não podem ter lugar na nossa sociedade" e que estas devem ser "julgadas e severamente punidas pelos Tribunais".

"Todos somos chamados a condenar os crimes de ódio e a defender a dignidade de cada pessoa. Essa é uma luta que não tem cor."

André Ventura fala em "país de hipocrisia em que tudo é racismo"

O deputado único do Chega, e líder do partido, André Ventura, tem uma opinião bastante diferente, tendo desvalorizado o sucedido.

"País de hipocrisia em que tudo é racismo e tudo merece imediatamente uma chuva de lamentos e de análises histórico - megalómanas. O nosso problema não é o racismo. É a hipocrisia. É o síndrome Joacine que começa a invadir as mentalidades. Por mim não passarão", escreveu no Facebook.

Iniciativa Liberal enaltece as diferenças "de cada um de nós"

"Marega fez bem em abandonar o campo. Ninguém deve admitir este tipo de discriminação que tanto fere a sua humanidade", escreveu o deputado do Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, no Twitter.

Outras reações

Já para o deputado do Partido Socialista Tiago Barbosa Ribeiro, "a ofensiva racista contra Marega em Guimarães, obrigando à saída do jogador, cobre de vergonha o futebol português".

Isabel Moreira, da mesma bancada parlamentar, salienta que "Marega decidiu recusar-se a ser uma não-pessoa".

"Marega foi a dignidade num país negacionista. Isto é de chorar. Gostava de lhe dar um abraço. Bravo, Marega. Deviam ter parado todos. Devia ter acabado o jogo", defendeu a deputada socialista no Facebook, acrescentando à publicação a 'hashtag'(#) "racismo".

Até há pouco tempo com representação parlamentar, o partido Livre defendeu nas redes sociais que "numa sociedade democrática atitudes racistas são inaceitáveis".

"Racismo é crime. Toda a nossa solidariedade com Marega.? O LIVRE exige da parte do Vitória de Guimarães e da Liga uma condenação inequívoca destes comportamentos", lê-se na conta oficial do partido no Facebook.

Veja também: