Desporto

Diego Maradona: génio de excessos que viveu seis décadas no fio da navalha

Maradona levantou-se sempre e caiu outras tantas vezes.

Morreu esta quarta-feira, aos 60 anos, a antiga estrela do futebol mundial Diego Armando Maradona, vítima de uma paragem cardiorrespiratória. Génio de excessos, Diego Armando Maradona fica na história do século XX.

Foram seis décadas a viver no fio da navalha, desde os tempos de menino num bairro pobre em Buenos Aires - o 5.º dos oito filhos de um operário fabril - nasceu com um pé esquerdo diferente, abençoado por Deus. Deram-lhe um nome de craque: Diego Armando Maradona.

Nunca se apagará da memoria de quem viu, no modesto Nápoles, dois campeonatos italianos, uma Taça, uma Supertaça e uma Taça UEFA. Pelo Barcelona, uma Taça do Rei, uma Taça da Liga e uma Supertaça. Foi campeão do mundo pela Argentina em 1986.

Apesar das muitas vitórias, houve um adversário que Maradona nunca conseguiu fintar: a cocaína. Vieram as polémicas, o mau feitio, a queda. Maradona levantou-se sempre e caiu outras tantas vezes.