Desporto

Sérgio Conceição lembra Maradona como "um monstro sagrado" do futebol

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte do ex-futebolista.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, homenageou hoje Diego Maradona, que morreu na quarta-feira, aos 60 anos, considerando que o ex-jogador argentino é "um dos maiores símbolos" e "um monstro sagrado" do futebol.

"Não é comum poder conviver com ídolos e lendas. Tive a sorte de conhecer um dos maiores símbolos do 'nosso' futebol", publicou Sérgio Conceição na conta oficial na rede social Twitter, com uma fotografia em que surge abraçado a Diego Maradona, num balneário.

Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, morreu, na quarta-feira, na sua residência, na Argentina, aos 60 anos, anunciou o seu agente e amigo Matías Morla.

"Serás para sempre el pibe, um monstro sagrado desta paixão que nos move. Hasta siempre Diego! #D10S", refere ainda Sérgio Conceição, que prestou também homenagem ao dirigente portista Reinaldo Teles, que morreu quarta-feira, aos 70 anos, devido a problemas resultantes da infeção por covid-19.

Os resultados preliminares da autópsia indicam que a causa da morte de Mardona foi uma "insuficiência cardíaca aguda, num paciente com cardiomiopatia dilatada". O relatório indica ainda que a insuficiência cardíaca aguda deverá ter sido causada por um "edema pulmonar".

A sua carreira de futebolista, de 1976 a 2001, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA ganhos ao serviço dos italianos do Nápoles.

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona, cujas cerimónias fúnebres vão decorrer até sábado, na Casa Rosada, a sede do governo do país.