Economia

Mais de 407 mil pessoas estão desempregadas em Portugal

Aumento de 37% relativamente ao ano passado.

O número de desempregados em Portugal aumentou 37% em comparação com o mesmo período do ano passado, o que indica que existem neste momento 40.302 mil pessoas desempregadas.

Estes dados representam mais de 110 mil inscritos do que em julho de 2019.

Apesar de uma diminuição no mês de junho, o número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a aumentar mais 0,2% tendo em conta o mês junho.

De acordo com o relatório do IEFP, divulgado esta quinta-feira, "no fim do mês de julho de 2020, estavam registados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 407 302 indivíduos desempregados, número que representa 74,5% de um total de 546 846 pedidos de emprego. O total de desempregados registados no País foi superior ao verificado no mesmo mês de 2019 (+110 012 ; +37,0%) e face ao mês anterior (+637 ; +0,2%)."

O Relatório indica ainda que "a nível regional", o Algarve apresenta um aumento "mais pronunciado", com uma subida de 216,1%, ao contrário dos Açores que registou uma descida de 1,4%.

Segundo o IEFP, para o aumento do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2019 (variação absoluta) contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para as mulheres, os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o secundário.

Aumento teve maior expressão no setor dos serviços

Do total de desempregados, 45.002 são jovens com menos de 25 anos, valor inferior em 0,3% face ao mês anterior e superior em 58% em termos homólogos.

De acordo com os dados hoje disponibilizados, este aumento registou maior expressão no setor serviços (47,4%): "a desagregação deste setor de atividade económica permite observar que as subidas percentuais mais acentuadas, por ordem decrescente, se verificaram nas atividades de 'Alojamento, restauração e similares' (96,7%), 'Transportes e armazenagem' (70,6%) e 'Atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio' (56,5%).

Veja também: