Economia

Governo admite nacionalizar Groundforce 

NurPhoto

Alfredo Casimiro entregou ações de penhor a terceiros.

O Governo admite nacionalizar a Groundforce, perante a iminência de falência da empresa.

A SIC sabe que o empresário Alfredo Casimiro não pode dar as ações à TAP em troca de um financiamento de emergência porque as entregou de penhor a terceiros.

Alfredo Casimiro admitiu ao Ministério das Infraestruturas, na noite de sábado para domingo, que não tem as ações porque as deu de penhor de um outro empréstimo. O empresário terá mesmo dito que "não pode dar o que não tem".

A TAP, que já tinha adiantado faturação no valor de 13 milhões de euros à Groundforce, vai agora exigir ao empresário o contrato de penhor para saber quem é o beneficiário.

A falência da Groundforce pode agora estar iminente. No entanto, com o verão turístico a aproximar-se, a TAP precisa que a empresa continue a fornecer o serviço de Handling. Por isso, o Ministério das Infraestruturas admite agora a hipótese de nacionalização da empresa.

Antes disso terá, no entanto, de ser encontrado o beneficiário do atual contrato de penhor das ações, para se perceber se ele pode vir a gerir a empresa ou se a Groundforce pode ser vendida.

Os trabalhadores da Groundforce manifestaram-se esta segunda-feira, junto ao Parlamento.

O repórter da SIC, Diogo Martins, esteve no local onde falou com Luísa Borba, da Comissão de Trabalhadores da Groundforce, que adiantou que os trabalhadores ainda só receberam parte do vencimento de setembro.

  • 2:33