Coronavírus

Portugueses em Wuhan deverão chegar esta semana a Portugal

Portugueses em Wuhan deverão chegar esta semana a Portugal

Apenas 14 dos 20 portugueses que estão na cidade chinesa onde foi detetado o coronavírus querem regressar.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde está a coordenar a retirada dos portugueses de Wuhan, na China. Esta terça-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, garantiu que vão ser seguidos os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar e conter a transmissão do coronavírus em Portugal.

Nenhum dos portugueses em Wuhan apresenta sintomas de infeção pelo coronavírus e, até agora, em Portugal não há informação de casos suspeitos.

A União Europeia vai enviar dois aviões, entre quarta e sexta-feira, à região chinesa de Wuhan que vão repatriar 250 franceses e outros 100 cidadãos europeus que o solicitem, "independentemente da nacionalidade".

Através da rede social Twitter, o serviço de Ajuda Humanitária da Comissão Europeia informou que, "à medida que o surto se intensifica, o Mecanismo Europeu de Proteção Civil foi ativado após um pedido de França", e falou no envio de dois aviões para repatriamento de cidadãos da UE.

TRÊS NOVOS CASOS NA ALEMANHA

As autoridades de saúde alemãs confirmaram hoje mais três casos de contágio, supostamente relacionados com a primeira infeção de um doente de 33 anos na Baviera.

O Ministério da Saúde da Baviera informou que os três novos casos se somam ao contágio confirmado na segunda-feira à noite, o de um doente alemão que foi o primeiro europeu infetado pelo vírus sem ter estado na China.

MAIS DE 130 MORTOS E QUASE 6 MIL INFETADOS

A China elevou para 132 mortos e quase 6 mil infetados o balanço das vítimas do novo coronavírus, detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei.

As autoridades de Pequim confirmaram também a primeira morte na capital chinesa de uma pessoa infetada pelo novo coronavírus (2019-nCoV), um homem de 50 anos que esteve na cidade de Wuhan, em 8 de janeiro.

MAPA INTERATIVO MOSTRA PAÍSES AFETADOS

A Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, criou um mapa interativo que permite acompanhar a evolução do coronavírus no mundo.

O mapa foi desenvolvido com base em dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), Centro de Controlo e Prevenção de Doenças e a Comissão Nacional de Saúde da China, permite acompanhar em tempo real o número de casos confirmados. Especifica ainda a quantidade de pessoas infetadas em cada país.

Consulte aqui.

Veja também:

  • Governo admite aumento de pressão sobre os hospitais

    Coronavírus

    No dia em que o balanço da Direção Geral de Saúde dá conta de 311 mortes e 11.730 casos de Covid-19 em Portugal, o Governo admite que aumentou a pressão sobre os hospitais. Esta segunda-feira, ficou ainda a saber-se que o País já tem um mapa de risco de infeção por coronavírus. Em Londres, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson está internado nos cuidados intensivos. Em Espanha, o número de óbitos desceu pelo quarto dia consecutivo. Já os Estados Unidos ultrapassaram as 10 mil mortes. A pandemia do novo coronavírus já matou, desde dezembro, 73.139 pessoas e infetou mais de 1,3 milhões em todo o mundo.

    SIC Notícias