Coronavírus

Diplomata filipina é a primeira infetada com coronavírus na sede da ONU em Nova Iorque

Andrew Kelly

E deslocou-se à sede da ONU pela última vez na segunda-feira.

Especial Coronavírus

Uma diplomata da missão das Filipinas na Organização das Nações Unidas (ONU) testou positiva ao novo coronavírus, no que é o primeiro caso registado na sede nova-iorquina da entidade.

Esta diplomata, que está integrada na 6.ª Comissão da Assembleia-Geral, que trata de questões jurídicas, deslocou-se à sede da ONU pela última vez na segunda-feira.

No dia seguinte, apresentou sintomas de gripe e foi vista por um médico.

"Ela recebeu um telefonema hoje (quinta-feira), informando-a que tinha sido testada positiva ao Covid-19", especificou a missão diplomática, em carta transmitida a múltiplas delegações diplomáticas junto da ONU, obtida pela AFP.

"A missão diplomática foi encerrada e todo o pessoal recebeu instrução para se colocar em quarentena", detalhou-se na missiva.

Cerca de três mil funcionários trabalham no secretariado da ONU, em Nova Iorque, sem contar os numerosos diplomatas dos 193 Estados-membros da ONU, que vão e vêm entre as missões diplomáticas nos imóveis nos arredores e a sede da Organização, situada em plena Manhattan.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.600 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 125 mil pessoas, com casos registados em cerca de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

SIGA AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE O SURTO DE COVID-19

Veja mais:

  • 2:34