Coronavírus

Covid-19: Teste de Donald Trump deu negativo

SHAWN THEW

Presidente dos EUA recusou-se durante alguns dias a fazer o teste.

Especial Coronavírus

O teste ao novo coronavírus (Covid-19) feito pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu negativo, anunciou no sábado à noite a Casa Branca.

"Recebi esta noite a confirmação de que o teste é negativo", informou o médico da Casa Branca, Sean Conley, citado pela agência francesa AFP.

O resultado do teste foi divulgado pouco depois de se ter sabido que Donald Trump tinha feito o teste, após ter recusado fazê-lo durante alguns dias.

Donald Trump, que tem sido acusado de minimizar o impacto da epidemia de Covid-19 e de ter sido lento na resposta sanitária, esteve em contacto, no fim de semana passado, na sua residência em Mar-a-Lago, na Florida, com uma delegação brasileira em que seguiam duas pessoas entretanto testadas positivamente para o coronavírus.

Numa altura em que a pandemia -- assim declarada pela Organização Mundial da Saúde em 11 de março -- está a paralisar todo o mundo e poderá vir a afetar milhões de norte-americanos, Donald Trump anunciou no sábado à noite que tinha feito o teste na sexta-feira.

Até aqui, o Presidente dos Estados Unidos refugiara-se na ausência de sintomas para recusar fazer o teste -- quando se sabe, há muito, que uma pessoa infetada com Covid-19 pode não apresentar sintomas durante vários dias.

A Casa Branca anunciou no sábado que, "por precaução", vai passar a medir a temperatura de todas as pessoas que estejam "em contacto próximo" com Trump e com o vice-presidente, Mike Pence, responsável por coordenar o combate à epidemia.

O novo coronavírus foi detetado pela primeira vez em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo. O número de infetados ultrapassa agora os 151 mil, com registos em 137 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados.

A Organização Mundial da Saúde declarou entretanto que o epicentro da pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) se deslocou da China para a Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, o da Itália, que anunciou hoje 175 novas mortes e que regista 1.441 vítimas fatais.