Coronavírus

Disponibilizadas 41 pousadas para acolher profissionais de saúde e das forças de segurança

As pousadas da juventude e os centros de medicina desportiva vão estar disponíveis durante este período de situação epidemiológica causada pela Covid-19.

Especial Coronavírus

O Governo disponibilizou 41 pousadas da juventude no continente para acolher os profissionais de saúde e das forças de segurança, correspondendo a mais de 3.500 camas por causa da pandemia causada pela Covid-19.

Em comunicado, o Ministério da Educação, que tutela as áreas da Juventude e do Desporto, adianta também que o Instituto Português do Desporto e Juventude já disponibilizou dois dos Centros de Medicina Desportiva – o Centro de Medicina Desportiva de Lisboa e o Centro de Medicina do Porto – com equipamento e material que ficarão ao dispor dos profissionais de saúde.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou cerca de 170 mil pessoas, das quais 6.850 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 140 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O Ministério da Saúde anunciou na segunda-feira que Portugal registou a primeira morte.

Trata-se de um homem de 80 anos, com "várias patologias associadas" que estava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, disse a ministra, que transmitiu as condolências à família e amigos.

Veja também:

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convocou uma reunião do Conselho de Estado para quarta-feira, para discutir a eventual decisão de decretar o estado de emergência.

Portugal está em estado de alerta desde sexta-feira, e o Governo colocou os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Entre as medidas para conter a pandemia, o Governo suspendeu as atividades letivas presenciais em todas as escolas a partir de hoje, e impôs restrições em estabelecimentos comerciais e transportes, entre outras.

O Governo também anunciou hoje o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham que se deslocar por razões profissionais.