Coronavírus

Endesa suspende cortes de luz e gás por falta de pagamento

Perante as dificuldades que os clientes possam ter no cumprimento das obrigações devido aos efeitos da Covid-19.

Especial Coronavírus

A Endesa anunciou hoje a suspensão de todos os cortes de luz e gás programados devido à falta de pagamento, dadas as dificuldades que os clientes possam ter no cumprimento das obrigações, devido aos efeitos de Covid-19.

“Perante as dificuldades que podem surgir nos próximos dias para o pagamento normal das faturas, a Endesa decidiu suspender todos os cortes de fornecimento de luz e gás programados devido à falta de pagamento”, divulgou a empresa de distribuição de energia, em comunicado.

A Endesa esclareceu também que reforçou a capacidade de resposta dos canais digitais (endesa.pt e My Endesa), por forma a diminuir as deslocações dos clientes às lojas de Lisboa e Porto.

Seguindo as recomendações governamentais e da Direção-Geral da Saúde, a empresa decidiu implementar o teletrabalho, sempre que as funções desempenhadas assim o permitam, acrescentou.

“Para a Endesa, a nossa prioridade neste momento é a proteção dos nossos colaboradores, clientes e fornecedores mantendo a sua capacidade de serviço e atendimento com o mesmo nível de qualidade prestado até agora”, garantiu a empresa, na mesma nota.

A informação sobre o seguimento de qualquer alteração nas medidas a tomar será distribuída, disse, através dos seus canais oficiais, apelando, ainda, para que os clientes desconfiem de qualquer informação que não seja transmitida através dos mesmos.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou cerca de 170 mil pessoas, das quais 6.850 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 140 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal há 448 pessoas infetadas até hoje, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), e a primeira morte registou-se na segunda-feira, tratando-se de um homem de 80 anos, com "várias patologias associadas" que estava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convocou uma reunião do Conselho de Estado para quarta-feira, para discutir a eventual decisão de decretar o estado de emergência.

Portugal está em estado de alerta desde sexta-feira, e o Governo colocou os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Entre as medidas para conter a pandemia, o Governo suspendeu as atividades letivas presenciais em todas as escolas a partir de hoje, e impôs restrições em estabelecimentos comerciais e transportes, entre outras.

O Governo anunciou também na segunda-feira o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham que se deslocar por razões profissionais.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: