Coronavírus

Metro do Porto suspende carregamento e validações de bilhetes

Devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Especial Coronavírus

A Metro do Porto revelou esta terça-feira que a partir de quarta-feira todas as máquinas de venda e todos os validadores vão estar desligados, pelo que o carregamento do bilhete Andante "deixa de ser necessário e obrigatório", devido à pandemia de coronavírus.

Num aviso divulgado hoje à tarde na página oficial da rede social Facebook e da Internet, a empresa informa que "a partir de 18 de março todas as máquinas de venda de títulos e todos os validadores da rede do Metro do Porto estão desligados".

"Até indicação em contrário, o carregamento e a validação do Andante deixa de ser necessário e obrigatório", acrescenta a Metro do Porto.

A empresa revelou na segunda-feira já ter disponível a "nova solução de limpeza de largo espectro e ampla duração, que permite a impermeabilização de superfícies", nomeadamente "o interior dos veículos e as zonas de contacto nas estações".

A Metro referia que, "de acordo com os ensaios realizados" a nova solução de limpeza "será eficaz na eliminação da Covid-19", acrescentando que ia começar "desde já", a usar o produto "na limpeza e impermeabilização dos veículos e estações".

Às 00:00 de sábado, também a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto suspendeu as validações de bilhetes, ao ativar a entrada de passageiros pela porta traseira devido à Covid-19.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Dos casos confirmados, 242 estão a recuperar em casa e 206 estão internados, 17 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos. Há ainda a assinalar mais 4.030 casos suspeitos até hoje, dos quais 323 aguardam resultado laboratorial.

Do total de cidadãos infetados em Portugal, três recuperaram.

O país está em estado de alerta desde sexta-feira, com escolas e vários serviços encerrados, tendo o Governo colocado os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Veja mais: