Coronavírus

Covid-19: Polícia mexicana investiga assaltos a estabelecimentos comerciais

Jose Luis Gonzalez

Autoridades mexicanas estão a investigar em diversos estados o aumento dos assaltos.

Especial Coronavírus

As autoridades mexicanas estão a investigar em diversos estados o aumento dos assaltos a grandes armazéns que podem estar relacionados com incitamentos nas redes sociais e quando aumentam no país os casos de infeção pelo novo coronavírus.

Esta quarta-feira, a polícia da Cidade do México referiu-se a quatro assaltos em diversas zonas da capital durante a noite. Através de um comunicado, a polícia indicou que estão a ser divulgadas nas redes sociais inúmeras informações sobre falsos saques a estabelecimentos, mas que estão a incentivar outros a praticá-los.

Dezenas de pessoas saquearam na segunda-feira uma mercaria no estado do México e durante a noite foi assaltado um estabelecimento no estado de Oaxaca (sul).

A polícia garantiu que está a reforçar a vigilância durante o atual estado de emergência, motivado pela propagação da pandemia da covid-19.

Algumas das mensagens exortavam o assalto a caixas de supermercados, mercearias e outros estabelecimentos para obter alimentos e outros produtos relacionados com o surto do novo coronavírus. Foi inclusive fornecida uma lista dos estabelecimentos e a melhor hora para proceder aos roubos.

No entanto, diversos dos assaltos parecem não ser determinados pela necessidade de bens essenciais. As autoridades referiram-se ao roubo de telemóveis e outros produtos eletrónicos, e de roupa.

As autoridades mexicanas pediram à população para permanecer em casa, mas o Governo federal não está a adotar medidas de confinamento. Alguns estados e governos locais impuseram o recolher obrigatório.

Hoje, o Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, disse que estes atos ilegais não vão ser tolerados.

"Estão a ser confrontados e vão continuar a ser confrontados", assinalou.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: