Coronavírus

Covid-19: Empresária chinesa oferece 4,6 milhões de euros em equipamento a Portugal

Arnd Wiegmann

Cerca de 80 ventiladores topo de gama chegam já este domingo a Lisboa para suprimir necessidades dos hospitais portugueses.

Especial Coronavírus

A promotora imobiliária chinesa Reformosa, da empresária e filantropa chinesa Ming Hsu, ofereceu 4,6 milhões de euros de equipamento a Portugal para o combate à pandemia de Covid-19. O material chega este domingo a Lisboa.

Além dos 80 ventiladores, fabricados na Austrália, fazem ainda parte deste donativo da empresa 1 milhão de máscaras, 22 mil fatos de proteção, 100 mil pares de luvas, 100 mil óculos de proteção e 10 mil toucas cirúrgicas, entre outro material.

A ajuda destina-se a profissionais de saúde de várias instituições hospitalares onde está identificada a carência deste material, tendo sido organizada em cooperação com o governo português, a embaixada de Portugal na China e a Câmara Municipal de Lisboa.

Todo o equipamento foi entregue ao embaixador português em Pequim, José Augusto Duarte, chegando a primeira parte a Lisboa já este domingo de manhã e o restante durante a próxima semana.

Há duas semanas, a mesma empresária ofereceu material de proteção médica aos profissionais de saúde do Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Além deste donativo, a empresária Ming Hsu organizou um consórcio de empresas luso-chinesas que já reuniram mais de 200 mil euros para entregar a entidades oficiais portuguesas.

Em 2017, a filantropa de origem chinesa, que apoia várias instituições sem fins lucrativos na área da educação e que é membro do board da norte-americana Columbia Business School, doou 2 milhões de euros à Nova BSE de Carcavelos com o objetivo de ajudar a promover a educação empresarial no mundo.