Coronavírus

Cristiano Ronaldo e restante plantel da Juventus com testes negativos ao novo coronavírus

Fabio Ferrari / AP

Hoje a equipa prosseguiu os trabalhos no centro de treinos em Continassa.

Especial Coronavírus

O plantel da Juventus, do qual faz parte o futebolista internacional português Cristiano Ronaldo, teve testes negativos para a covid-19, informou hoje o clube italiano, que testou os jogadores na quarta-feira.

“Ontem [quarta-feira] todo o grupo da equipa fez testes de diagnóstico, que deram resultados negativos”, indicou o emblema, octocampeão italiano e que liderava a Séria A de futebol antes da suspensão, após 08 de março, devido ao novo coronavírus.

Hoje, a equipa prosseguiu os trabalhos em Continassa, o seu centro de treinos, onde Cristiano Ronaldo se apresentou na terça-feira, depois de duas semanas de quarentena e depois de um período de quase dois meses de isolamento na Madeira.

“O programa de trabalho em Continassa prossegue. Durante alguns dias os jogadores fizeram sessões individuais de treino em pequenos grupos, mantendo as distâncias”, assinala o clube, que se prepara para nova metodologia.

Dentro do protocolo da comissão médica e científica da Federação Italiana de futebol, depois de terem sido testados os jogadores com resultados negativos, a equipa irá alargar as sessões de treino com grupos maiores.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

Portugal com 1.277 mortes e 29.912 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira que o número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.263 para 1.277, mais 14, enquanto o número de infetados aumentou de 29.660 para 29.912, mais 252, o que representa um aumento de 0,8%.

Não foi registado mais nenhum caso recuperado, sendo que o número manteve-se nos 6.452.

Há 608 doentes internados, menos 1 do que no dia anterior. 92 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos, menos 1.

5 milhões de infetados e mais de 328 mil mortos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 328.220 pessoas e infetou mais de 5.012.630 em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan, segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 hoje, baseado em dados oficiais.

Entre esses casos, pelo menos 1.854.900 foram considerados curados.

Os países mais afetados:

  • Estados Unidos, com 1.551.853 casos e 93.439 mortes
  • Rússia com 317.554 casos e 3.099 mortes
  • Brasil com 291,579 casos e 18.859 mortes
  • Reino Unido, 248.293 casos e 35.704 mortes
  • Itália com 227.364 casos, 32.330 mortes
  • França com 181.575 casos, 28.132 mortes
  • Espanha com 232.555 casos, 27.888 mortos

China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou 82.967 casos (dois novos entre quarta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes (nenhuma nova) e 78.249 curados.

A Europa totalizou 169.932 mortes para 1.955.600 casos, Estados Unidos e Canadá 99.575 mortes (1.631.995 casos), América Latina e Caraíbas 33.945 mortes (612.891 casos), Ásia 13.158 mortes (399.080 casos), Médio Oriente 8.486 mortes (309.107 casos), África 2.996 mortes (95.533 casos) e Oceânia 128 mortes (8.426 casos).

Links úteis

Mapa com os casos a nível global