Coronavírus

Mais 4.300 profissionais de saúde para o combate "às diferentes fases da pandemia"

Três médicos preparam um paciente durante uma demonstração do uso de câmaras de proteção profissional ao ato de entubação, que permitirá reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus, no Hospital Santa Maria, em Lisboa.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

1.800 assistentes operacionais, mais de 1.300 enfermeiros, 170 médicos, assistentes técnicos e técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica.

Especial Coronavírus

Cerca de 4.300 profissionais de saúde foram contratados para garantir a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde "às diferentes fases da pandemia" da covid-19, anunciou hoje o secretário de Estado da Saúde.

"Temos feito um reforço importante ao nível dos recursos humanos para garantir que o Serviço Nacional de Saúde vai tendo capacidade de resposta às diferentes fases da pandemia", afirmou António Lacerda Sales na conferência de imprensa regular sobre a covid-19.

Assim, foram contratados no âmbito da resposta à covid-19 cerca de 4.300 profissionais de saúde. Destes, mais de 1.800 são assistentes operacionais, mais de 1.300 são enfermeiros, cerca de 170 médicos, entre outros, como assistentes técnicos e técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, "todos cruciais todos importantes a todos muito obrigado".

"A taxa de letalidade global é de 3,3%"

Analisando os dados diários da pandemia, António Lacerda Sales afirmou que "a taxa de letalidade global é de 3,3% e a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 15,7%".

Sublinhou ainda que Portugal já fez, desde o dia 01 de março mais de 1,7 milhões de testes diagnósticos à covid-19".

"Em agosto, a média de testes por dia é superior a 13 mil, o que faz com que sejamos o sexto país da União Europeia com mais testes por milhão de habitantes", destacou.

Ainda sobre o reforço dos recursos humanos no SNS, o governante recordou a abertura do procedimento para 435 postos de trabalho na especialidade de Medicina Geral e Familiar, observando que "é o maior número de vagas para médicos de família dos últimos tempos".

Foi também publicado o despacho que fixou os postos de trabalho médico nas zonas geográficas do país e especialidades definidas como carenciadas.

"São 185 vagas, o maior número de sempre para zonas do país que mais delas necessitam como o Algarve, as Beiras, Trás-os-Montes, às quais o Governo atribui um conjunto de incentivos aos profissionais que a elas se candidatam, porque reconhecemos que a força de trabalho é o motor do Serviço Nacional de Saúde e queremos profissionais de saúde motivados", vincou.

António Lacerda Sales assinalou ainda que, pela primeira vez, o concurso de mobilidades para vínculos ao Serviço Nacional de Saúde abrange as especialidades médicas hospitalares e saúde pública e que será brevemente lançado".

Segundo o governante, foram também abertas 2.400 vagas para a formação no internato geral.

Portugal com 3 mortes e 290 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1.746 mortes e 52.351 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.743 para 1.746, mais 3 do que na quinta-feira. Já o número de infetados aumentou de 52.061 para 52.351, mais 290, uma subida de 0,6%.

Há 356 doentes internados, 36 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37.840 para 38.087, mais 247.

Covid-19 matou mais de 715 mil pessoas e infetou mais de 19,1 milhões

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 715.343 pessoas e infetou mais de 19.133.340 em todo o mundo desde que o vírus foi detetado na China, em dezembro, refere o último balanço feito pela Agência France-Presse (AFP) com base em dados oficiais.. Pelo menos 11.319.300 doentes já foram considerados curados.

Países mais atingidos

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é a que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 85 mortes por cada 100.000 habitantes, seguida do Reino Unido (68), Peru (62), Espanha (61), e Itália (58).

  • Estados Unidos com 160.104 mortes e 4.883.657 casos
  • Brasil, com 98.493 mortos e 2.912.212 casos

  • México, com 50.517 mortos (462.690 casos),

  • Reino Unido, com 46.413 mortos (308.134 casos),

  • Índia, com 41.585 óbitos e 2.027.074 casos de infeção.

  • A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabiliza oficialmente um total de 84.565 casos (37 novos nas últimas 24 horas), incluindo 4.634 mortes e 79.088 recuperados.

A região América Latina e Caraíbas destronou a Europa no número de óbitos e de infeções, segundo os dados recolhidos até às 12:00 de hoje, com 213.018 óbitos e 5.319.101 casos, enquanto o continente europeu registava 212.415 mortes e 3.301.728 casos.

Os Estados Unidos e o Canadá contabilizavam 169.108 mortes (5.002.218 casos) e na Ásia somavam-se 69.099 óbitos (3.259.246 casos).

O Médio Oriente contabilizava 29.306 mortes (1.218.513 casos), África 22.098 óbitos (1.010.380 casos) e Oceânia 299 mortes (22.154 casos).

Links úteis

Mapa com os casos a nível global