Coronavírus

Vacina russa contra a Covid-19 foi testada em apenas 38 pessoas

Ted S. Warren

Segundo a imprensa russa, a vacina causa efeitos secundários como dores, febre e inchaço.

Especial Coronavírus

A vacina russa contra a Covid-19, anunciada esta semana pelo Kremlin, foi testada em apenas 38 pessoas. A informação é da agência de notícias russa Fontanka que revela ainda que vacina causa efeitos secundários que incluem dores, febre e inchaço.

De acordo com a mesma agência, a vacina foi registada depois de apenas 42 dias de investigação e a eficácia ainda é desconhecida.

Recorde-se que o Presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que uma das filhas tomou a vacina.

Vacina russa contra a Covid-19 "levanta algumas dúvidas"

De acordo com o imunologista Henrique Veiga Fernandes há três pontos relevantes:

1. Questão científica:

Se a vacina é ou não eficaz contra a Covid-19 e, segundo o especialista, os resultados da fase 2 confirmam que sim, que à partida a vacina confere imunidade.

2. Questão da segurança:

O ponto mais crítico, uma vez que a vacina será usada em milhares ou milhões de indivíduos.

"Não queremos uma reação à vacina que causa mais sintomas ou mais doença que a própria doença original"

3. Questão geopolítica:

Há uma corrida importante entre os EUA, a China, a Rússia e a União Europeia para ver quem consegue mais rápido uma vacina eficaz e segura.

O anúncio da Rússia tem em volta "propaganda política", uma vez que foi anunciada pelo Presidente. O nome faz lembrar a guerra fria e, para terminar, a imagem de dizer que é eficaz porque a filha do Presidente já terá sido vacinada, rematou o especialista.

Estão reunidas as condições para uma vacina eficaz e segura no próximo ano?

No entender de Henrique Veiga Fernandes, sim. "Estão reunidas as condições e se não for com uma vacina russa, será com uma das seis que estão em fase avançada ou com uma das cerca de 100 vacinas que estão neste momento em testes".

"Estou confiante que no início de 2021 venhamos a ter uma vacina que seja segura e que confira imunidade".