Coronavírus

Aumento do número de infetados em Portugal: Governo vai tomar as "medidas necessárias"

Governo decide sobre situação de contingência na próxima semana.

Especial Coronavírus

Portugal registou mais de mil novos casos esta quinta-feira, situação apenas registada duas vezes em Portugal, uma no final de março e outra a 10 de abril.

Sobre o aumento de casos, a ministra da Presidência remeteu para a próxima semana uma decisão do Governo sobre as medidas da situação de contingência.

No briefing do Conselho de Ministros desta tarde, Mariana Vieira da Silva disse que será feito o que o Governo entender necessário, mas também reafirmou que estes valores mais elevados eram esperados.

Portugal com mais 10 mortes e 1.278 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

A Direção-Geral da Saúde anunciou no boletim diário desta quinta-feira que há um total de 10 mortes e 1.278 casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas.

O número de mortes subiu de 2.040 para 2.050, mais 10 do que na quarta-feira. Já o número de infetados aumentou de 81.256 para 82.534, mais 1.278, o maior aumento diário de casos desde 10 de abril.

Nas últimas 24 horas, 480 doentes foram dados como recuperados. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram da doença 51.517 pessoas.

Esta quinta-feira estão ativos 28.967 casos, mais 788 do que na quarta-feira. Sob vigilância estão 46.182 contactos, mais 159 em relação a quarta-feira.

Profissionais pedem mais recursos nos centros de saúde

Longas filas de espera e telefonemas por atender são alguns dos cenários que têm sido noticiados nas últimas semanas, deixando os profissionais dos centros de saúde preocupados com a sobrecarga dos serviços. Estes problemas poderão agravar-se com o aumento do número de casos de Covid-19.

Numa carta aberta, publicada esta quinta-feira no jornal Público, a Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (ANUSF) denuncia a falta de recursos humanos e queixa-se das estruturas, que considera serem desajustadas à realidade.

A ANUSF critica também o discurso e a atuação do Governo, deixando um alerta: se nada mudar, está criada uma tempestade perfeita para o período de inverno que se aproxima.